Flamengo abre portas para Bruno e aguarda decisão da Justiça

09/05/2012

 

Rio de Janeiro, RJ, 09 (AFI) – O vice-presidente jurídico do Flamengo, Rafael de Piro, acenou com a possibilidade de reintegração do goleiro Bruno caso ele seja liberado da prisão nas próximas semanas. Acusado pelos crimes de sequestro e assassinato de sua ex-namorada Eliza Samudio, em 2010, Bruno tem contrato suspenso com o clube.

 

O dirigente rubro-negro frisou que fala hipoteticamente sobre eventual retorno do goleiro, um dos responsáveis pelo título do Campeonato Brasileiro de 2009. “Diante da possibilidade de ele ser solto, vamos analisar com calma. Jamais podemos fechar a porta nesse caso. Ele teve o contrato suspenso, mas podemos muito bem reativá-lo”, comentou De Piro.

 

Algumas questões, porém, podem dificultar a volta do jogador. Mesmo que o habeas corpus pedido pelo advogado de Bruno à Justiça seja concedido, o atleta pode sofrer restrições como a proibição de viajar ou de dormir fora de casa. “Vamos sentar e ter toda boa vontade para concretizar o retorno, mas precisamos entender como será essa liberdade”, ponderou o dirigente, otimista quanto ao desfecho do caso.

 

Ronaldinho
Empresário e irmão de Ronaldinho Gaúcho, Roberto Assis se encontrou com a presidente Patrícia Amorim, nesta quarta-feira, na Gávea, para tratar do atraso no pagamento dos salários do atacante. O ex-jogador voltou a reforçar que não há possibilidade do craque deixar o clube antes do fim de seu contrato, em 2014.

 

“O encontro com a Patrícia foi tranquilo. Sempre chegamos a um acordo com o Flamengo. Dentro de duas semanas é possível que haja um novo encontro. Eles pediram paciência e nós vamos ter”, disse Assis, em referência às negociações entre os rubro-negros e a Black & Decker para o patrocínio master do uniforme.

 

Patrícia diz que o clube deve R$ 2,25 milhões ao camisa 10. Assis estipula dívida de R$ 5 milhões. Mas o empresário nega divergências. “Os valores não estão em discussão, o Flamengo sabe o que deve”.  – Fonte: www.radioclubedopara.com.br

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.