Copa do Brasil: Coritiba e Palmeiras decidem o título nesta quarta-feira

11/07/2012

 

São Paulo, SP, 11 (AFI) – Foram anos e anos de sofrimento, vergonha e só os torcedores mais apaixonados conseguiam ainda falar com orgulho que torciam pelo Palmeiras. Os rivais cansaram de tripudiar, mas no fim da noite desta quarta-feira tudo pode mudar. O Palmeiras enfrenta o Coritiba, às 21h50, no Estádio Couto Pereira, em Curitiba, com a possibilidade de voltar a gritar “é campeão” e figurar novamente na lista dos campeões nacionais do Brasil.

O que está em jogo não é apenas mais uma taça para a vasta coleção alviverde, mas, sim, o resgate do orgulho palmeirense e a volta de um gigante ao topo do futebol brasileiro.

Quando o apito do árbitro trilar e der início ao jogo desta quarta, milhões de torcedores estarão dentro de campo para ajudar Betinho a chutar no gol, Thiago Heleno tirar uma bola que vai para a área, apoiar Bruno para uma grande defesa e, claro, colocar ainda mais qualidade nas belas cobranças de faltas de Marcos Assunção.

Nunca nos últimos 12 anos o Palmeiras esteve tão próximo de voltar a conquistar um título nacional. A última foi a extinta Copa dos Campeões de 2000 e, no ano anterior, a conquista foi da Copa Libertadores. De lá para cá levou o Campeonato Paulista de 2008 e nada mais. O palmeirense está cansado de ver os rivais Corinthians e Santos dando volta olímpica e até mesmo os são-paulinos, que não ganham nada desde 2008, gabar-se de um tricampeonato brasileiro de forma consecutiva.

Time focado
É verdade que o Palmeiras já ganhou títulos até mais importantes do que a Copa do Brasil, mas poucas vezes se viu um time tão sedento por um título. Para muitos atletas, é o primeiro importante da carreira. Para os que já ganharam, é a chance de dar a volta por cima, como Daniel Carvalho. O discurso é de um time tranquilo, que esbanja confiança em seu momento, mas sem passar arrogância. É unânime, inclusive entre os jogadores, que o elenco palmeirense não prima pela qualidade técnica, mas compensa com muita dedicação e raça. Talvez esse seja o motivo de tanta confiança.

Mas, como se tornou hábito para o clube, chegar à decisão e enfrentar o Coritiba nesta quarta não será nada fácil. Vários são os desfalques e não são “qualquer um”. O artilheiro Barcos está fora. Valdivia, o maestro, também. O atacante argentino se recupera de uma cirurgia de apendicite e o meia chileno está suspenso pela expulsão no primeiro jogo. Wesley, contratado a peso de ouro, também está fora. Maikon Leite, o amuleto de Felipão, que na maiorias das vezes que entra durante a partida e ajuda o time, é outro machucado. Luan também não deve aparecer, mas o treinador é especialista na arte de “enganar” imprensa, adversários e torcida e pode aparecer com o jogador como surpresa.

Fica a expectativa também para saber quem será o herói da conquista. Sem Barcos e Valdivia, Marcos Assunção e Daniel Carvalho aparecem como favoritos. A velocidade de Mazinho e o bom cabeceio de Thiago Heleno e Henrique também podem garantir a conquista. Ou até mesmo Bruno pode se consagrar de vez como substituto de Marcos, fechar o gol em Curitiba e voltar nos braços do povo para São Paulo.

Como venceu o primeiro jogo por 2 a 0, na Arena Barueri, o Palmeiras pode até perder por um gol que será campeão. Se perder por 2 a 0, a decisão vai para os pênaltis e, se marcar um gol, obriga o adversário a fazer pelo menos quatro.

Do outro lado está um time que também tem sua história e não chega morto para o segundo jogo. Os históricos 6 a 0 feitos pelo Coritiba no ano passado, pela mesma Copa do Brasil, não é esquecido por nenhum dos dois lados.

“Já perdemos uma vez feio para eles. Então isso mostra que ainda não tem nada ganho, não”, afirmou Daniel Carvalho, substituto de Valdivia.

O Coritiba nem se apega à goleada do ano passado para manter a confiança no título, que parece difícil, mas não impossível, de acordo com todos do grupo. Se em 2011 a conquista quase veio (perdeu a final para o Vasco), agora o time paranaense aposta em uma reviravolta para fazer a festa em casa.

O zagueiro Emerson, suspenso, é o único desfalque do Coritiba, que promete partir para cima do adversário e vai abusar da velocidade para conseguir o tão sonhado título. A festa e apoio da torcida começarão bem antes do apito inicial. O “Green Hell” (inferno verde) novamente entrará em ação, com show de luzes e fumaça verde. Resta saber agora de quem será a comemoração e a redenção final

Fonte: www.radioclubedopara.com.br

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.