Remistas têm escudo histórico do Baenão de volta

14/08/2012

 

O escudo do Clube do Remo  retornou à fachada do estádio Baenão na tarde desta terça-feira (14). A obra foi feita por uma iniciativa do arquiteto e torcedor remista, Paulo Cesar da Costa Alves, 44 anos, que, com ajuda de amigos azulinos, doou ao time do coração a reconstrução do escudo. Segundo Paulo, o Remo apenas fez a pintura dos muros, pois já estavam bastante desgatados.

Paulo Cesar conta que a ideia de recuperar o histórico símbolo do Leão surgiu de um pedido da filha de apenas 7 anos, antes do jogo contra o Penarol (AM) pela Série D.

“Ela está na fase de perguntar tudo. Quando passamos na frente do Baenão ela quis saber por que o escudo original tinha caído. Eu expliquei a ela que o problema foi gerado por brigas internas. Então ela perguntou porque você não constrói? Esta pergunta ficou na minha cabeça e na segunda-feira (2 de julho) fui a sede e fiz a proposta ao presidente Sérgio Cabeça”, explica o torcedor remista.

O arquiteto do Leão vai aos jogos do “Mais querido” desde criança, quando era levado por seu pai e acredita que seu gesto deve servir como um incentivo para a reconstrução do Remo como time grande e ocupando seu lugar de destaque no futebol nacional.

“A reconstrução do escudo pode ser um empurrão para que o meu Leão volte a ser grande. Eu nunca imaginei e não foi minha intenção ter toda essa repercussão, mas já que teve, espero que possa servir de incentivo para que a gente possa subir para a Série C.

O escudo histórico do Clube de Remo estava postado na fachada do estádio Baenão, em frente à avenida Almirante Barroso, desde cerca de 75 anos, quando o ex-presidente remista Amaro Klautau ordenou a retirada do símbolo no dia 23 de agosto de 2010. A ideia de Klautau era retirar o escudo para pode vender o estádio remista, fato que não se concretizou.

(Felipe Melo/DOL)

1 resposta a Remistas têm escudo histórico do Baenão de volta

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.