Torcida bicolor fez protesto na Curuzu

30/08/2012

 

Com cartolinas cortadas e pintadas em forma de sete, alguns torcedores do Paysandu planejavam, ironicamente, indicar aos atacantes bicolores a direção do gol. O protesto foi organizado para ontem à tarde. Os manifestantes encontraram os portões do Estádio da Curuzu fechados e o clima esquentou.

Indignados, cerca de 50 bicolores conseguiram arrombar o portão de acesso e entraram gritando “time sem vergonha” e “respeitem a torcida”. Um cartaz, que dizia “Da hora o African”, ainda detonava a presença de boêmios na equipe. O técnico Givanildo Oliveira só paralisou o treinou quando alguns torcedores começaram a arremessar ovos ao gramado. Giva orientou os atletas a entrarem no vestiário.

Parte dos protestantes se aproximou do alambrado que fica perto do banco de reservas do Papão. Thiago Potiguar foi acusado de perder muitos gols. Rafael Oliveira e Alex William também foram alvos pois são vistos em farras. Seguranças do clube acionaram a polícia.
Depois de 10 minutos de paralisação e com os protestantes fora do estádio, Givanildo Oliveira reconduziu seus comandados para um reaquecimento e retornou para o penúltimo apronto antes da viagem à Lucas do Rio Verde, local onde a equipe enfrenta o Luverdense (MT).

Ao final do treino, em entrevista coletiva, o volante e capitão da equipe Vanderson disse que entendia a decepção da torcida diante dos últimos resultados do Papão na competição, porém o momento escolhido e a forma de fazer a manifestação não foram oportunos. “O torcedor tem total direito de reclamar nos jogos. Eu acho que nos dias de treinamento não tem a obrigação de vir aqui para atrapalhar o trabalho. Eu não vou ao trabalho de ninguém para atrapalhar”, fala. “Eles estão no direito deles, mas nós temos o nosso de trabalhar sossegado”, frisa.

(BOLA)

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.