A ‘guerra’ está declarada

10/11/2012

 

Depois de enfrentar algumas horas de atraso, a delegação do Paysandu desembarcou na capital no início da tarde e se deslocou imediatamente para Macaé, a cidade do jogo de sábado. No entanto, as pretensões de treinarem no estádio Cláudio Moacyr foram por água abaixo. Uma história mal contada entre a diretoria e a prefeitura do município, impediu que o campo fosse liberado para os bicolores, que treinaram em um clube da cidade.

Tirando o episódio, o elenco segue tranquilamente os trabalhos. Apesar de ter sido poupado mais uma vez, o volante Vanderson disse que está em condições do jogo, mas segue acompanhado de perto por um fisioterapeuta do clube. Essa, pelo visto, é a única dúvida sobre a onzena titular. Já na mente do técnico Lecheva, dificilmente o time será conhecido antes da partida.

“O time não deve mudar seu estilo de jogo. O professor conhece o elenco que tem em mãos, mas nós viemos de uma boa sequência, desde o início do campeonato marcamos a nossa característica, que é marcar forte e jogar sempre pensando no ataque”, arrisca o zagueiro Marcus Vinícius, que está praticamente fechado na zaga ao lado de Fábio Sanches. As dúvidas do técnico residem, na grande maioria dos casos, na formação do meio campo e o ataque.

O momento de maior destaque desde a chegada bicolor, no entanto, foi a recepção em frente ao hotel que a delegação está hospedada.

Cerca de 30 torcedores foram prestigiar o desembarque bicolor e desejar boa sorte, prova de que, mesmo longe de casa, a Fiel Bicolor se faz presente. “Tem muitos ônibus vindo pra cá, torcedores do Rio de Janeiro, muita gente está apoiando o Paysandu. Vamos tentar nos sentir em casa, a cidade está cheia de faixas anunciando o jogo, será uma grande festa”, completa Marcus Vinicius.

Ala foi liberado e rival jogará completo

A dúvida na formação do Macaé era sobre a entrada do lateral esquerdo Edu Pina, que estava machucado e passou a semana em observação pelo departamento médico do clube, no entanto, após alguns exames realizados, o atleta foi liberado para os treinos com bola, deixando o Leão Macaense completo para enfrentar o Papão, mesmo que o técnico Toninho Andrade prefira não revelar.

“O time provável ainda não definimos, mas temos uma base do último jogo, e dessa base vamos fazer algumas observações, algumas mudanças táticas, caso seja necessário. No entanto, devemos montar o nosso esquema baseado no que já vimos na primeira partida.

Ainda estamos estudando algumas situações. No decorrer da semana já estudamos outra, mas ainda vamos fazer mais um trabalho”, observa o técnico.

A base na qual se refere é a mesma do primeiro jogo. Na ocasião, quando o Paysandu venceu por 2 a 0, o Macaé entrou com Luiz Henrique; Edson, Diego Souza, Pina; Gedeil, Vagner, Osmar, Everton, Norton, Zambi e Jones. O esquema tático foi baseado na ligação direta entre a zaga e o ataque, principalmente na ala esquerda, com o atacante Zambi. Porém, ao perceber que não conseguiu a eficiência esperada, Andrade resolveu estudar outras situações e deve montar o time só após o último coletivo, programado para hoje.

(Diário do Pará)

1 resposta a A ‘guerra’ está declarada

  1. Vamos Papão falta pouco pra gente comemorar o acesso, confiança sempre e muita humildade…VAMOS SUBIR PAPÃO!!!

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.