Lecheva foi da dúvida ao incontestável

12/11/2012

 

Após a conquista do acesso para a Série B 2013, com grande festa em todo Pará neste sábado (10) e domingo (11), é hora de dar crédito aos responsáveis pela proeza bicolor, depois de seis anos na Série C.

Na Curuzú, no entanto, mais uma vez foi um velho conhecido um dos mais exaltados pelo torcedor alviceleste. O técnico Lecheva, ídolo dentro de campo, dessa vez foi fora das quatro linhas que conseguiu mais um acesso para o Papão.

Tido como ‘quebra-galho’ no início da temporada, quando assumiu o barco azul e branco ainda no Campeonato Paraense, o treinador passou da dúvida para membro inquestionável na caminhada do Paysandu na terceira divisão 2012.

Mas o bom desempenho na Copa do Brasil, quando o time chegou, pela primeira vez, nas oitavas de final, com direito a uma goleada sobre o Sport de Recife, não parecia ser suficiente para garantir a confiança de parte da diretoria.

Após o jogo contra o Coritiba, quando o time foi eliminado, o vice-presidente Toninho Assef disse que Lecheva era competente mas não estava no planejamento para a Série C. “Lecheva é um bom profissional, competente, mas não será o treinador do Paysandu. Agradecemos o trabalho feito, só que o planejamento para a Série C será outro”, revelou.

O próprio Lecheva se mostrava conformado com a decisão dos cartolas. O até então auxiliar técnico estava satisfeito com sua contribuição momentânea no clube. “Não fiquei surpreso com a troca. Ajudei a reerguer o clube no Estadual e na Copa do Brasil, por isso fui mantido no comando da equipe por tanto tempo. Agora a diretoria definiu trazer um técnico mais experiente e eu vou continuar a ajudar o Paysandu e o novo treinador”, contornou Lecheva.

Após as passagens sem sucesso dos considerados técnicos de peso, Roberval Davino e Givanildo Oliveira, a bola caiu mais uma vez nos pés do auxiliar, ou melhor, a prancheta.

Retomando o comando do grupo, o agora treinador garantiu a confiança do elenco e conseguiu bons resultados dentro e fora de casa, conquistando pontuação suficiente para garantir o acesso bicolor.

Após a partida épica contra o Macaé-RJ, fora de casa, o trabalho de Lecheva foi coroado, e ele foi carregado, literalmente nos braços da fiel bicolor, em Belém. “Sempre tem alguém pra falar alguma coisa da gente, mas ninguém pode falar mal do Lecheva porque ele não se dedicou”, disse na saída do gramado do Estádio Moacryzão, em Macaé (RJ)

(Felipe Saraiva/DOL)

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.