Treinador crê na classificação

17/11/2012

 

Foi difícil entender como o Paysandu começou de forma arrasadora e no segundo tempo permitiu uma ascensão meteórica, porém eficiente  do Icasa. Aliás, o retrospecto bicolor em atuar bem em um tempo e afrouxar no outro acabou dando um sentido inesperado ao resultado final, forçando os bicolores a jogar no ataque para tirar os dois gols levados em casa. Se empatar, o time passa para a final, mas uma vitória simples dos nordestinos classifica o Icasa e deixa o Papão na saudade.

Apesar dos gols sofridos, o técnico Lecheva entende o resultado como positivo, uma vez que a vantagem ainda está nas mãos do bicola. “Nós queríamos uma vitória maior, mas não deixa de ser um bom resultado, até porque um empate fora de casa é um resultado plausível e dentro da normalidade”, garante. No entanto, ele não escondeu a frustração de ter levado gols em lances de falha.

“É lógico que pelo primeiro tempo poderíamos ter um placar melhor, mas não deixa de ser uma vantagem, vamos jogar fora precisando de um empate. O primeiro gol deles foi uma jogada de azar, não poderíamos prever aqui, já o segundo sim foi trabalho e não soubemos segurar. Todos os jogos são difíceis, até porque são os quatro melhores times do campeonato”, ressalta.

No segundo tempo, quando as substituições ocorreram e os gols do Icasa saíram, Lecheva bate novamente na tecla dos erros de finalizações, que precisam ser corrigidos até o jogo de volta, onde um gol poderá fazer a diferença. “Nossa equipe criou, soube explorar os contra-ataques, só não finalizou corretamente. Assim como terminou 3 a 2, poderia ser 6 a 2”, reflete.

Para ele, uma das maiores dificuldades será montar o time com três ausências, Fábio Sanches, Yago Pikachu e Kiros e jogar na frente como o Icasa jogou em Paragominas. “Temos peças a altura e vamos utilizar deles para fazer o resultado. Eu acredito na força do grupo e na classificação no final”, encerra.

(Diário do Pará)

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.