Equipe orienta os atletas sobre metodologia

28/12/2012

 

O listão dos aprovados continua a trazer alegria na Curuzu. O nome do mais novo convocado saiu ainda ontem, após o trabalho físico da tarde. Quem chega para reforçar o plantel do bicola é o meia Esdras, de 22 anos, com passagem recente no Oeste (SP), onde disputou o Campeonato Paulista. O baiano de Porto Seguro é a sexta contratação do Paysandu e desembarca em Belém na madrugada deste sábado.

Esdras chega para disputar uma vaga no meio campo aumentando a concorrência que já tem Alex Gaibu, Lineker, Thiago Costa, Djalma e a outra novidade, Eduardo Ramos, que se apresenta somente no dia 1º de janeiro. Sua passagem pelo Oeste não foi excelente, mas ajudou o time do interior a manter-se na divisão principal do Paulistão, no 10º lugar, diferente da temporada 2011, em que jogou no ABC (RN), e conquistou o título de Campeão Potiguar. Esdras também acumula um estadual pelo Vitória (BA) e agora almeja mais uma passagem vitoriosa, dessa vez defendendo um time da região Norte.

O meia, que tem 1,82m de altura e 77 quilos é mais um fruto da nova composição administrativa do Paysandu, articulada entre a comissão técnica, a diretoria de futebol e o gerente executivo. Lecheva, no entanto, admitiu que o time ainda precisa recompor algumas peças e, certamente, novas contratações devem aparecer na Curuzu, principalmente com a saída de Rodrigo Fernandes e Leandrinho, o técnico pretende contar com alguns jogadores fixos, mas também outros mais polivalentes, que possam ser improvisados em outras funções.

Outro novato que passa a fazer parte da trupe alviazul é o fisiologista Adriano Lima, vindo do Vila Nova (GO). O profissional foi contratado pela diretoria para atuar na área, ocupada antes por Zé Carlos Amaral. Lima vai atuar ora no gramado, ora nas outras modalidades de trabalho físico. Ao lado do preparador Wellington Vero, o fisiologista observou o plantel no trabalho muscular para emitir suas impressões.

“Nesse início de trabalho nós estamos focando principalmente as avaliações físicas, para que tenhamos conhecimento sobre o estado de cada atleta e, em cima disso, a comissão técnica vai planejar melhor a sua pré-temporada. Cada jogador está sendo tratado de maneira individual. Isso nos compensa em uma análise completa sobre as deficiências, carências e qualidades de cada um”, detalha.

Diferente dos gramados da região centro-oeste, onde Adriano Lima atuava, o Parazão oferece aos clubes participantes condições muitas vezes desfavoráveis, somando-se ainda o inverno, que deixa naturalmente o gramado mais pesado. Todos os contratempos, segundo ele, devem ser tratados com calma, uma vez que os planos se baseiam justamente em manter ao máximo os jogadores longe das lesões, sem comprometer o rendimento no campeonato.

“A fisiologia tem um papel muito importante, porque, de posse da avaliação dos jogadores é possível que a gente possa aperfeiçoar o desempenho dentro de campo e minimizar cada vez mais a ocorrência de lesões durante a temporada, fazendo que o jogador possa render a temporada inteira com baixo risco de lesão”, explica.

(Diário do Pará)

www.radioclubedopara.com.br

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.