Novatos e veteranos buscam se entrosar e ser fortes

28/12/2012

 

Se analisássemos o contexto, seria injusto convocar a torcida do Clube do Remo a comparecer em peso hoje, às 20h30, no estádio Baenão, para ver o time enfrentar o Castanhal. Afinal, eles já vieram tantas e tantas outras vezes. Nem precisa voltar muito tempo. Foram tantos amistosos de preparação feitos pelo time ano passado, nesse mesmo período, que se perde até a conta. Mas, nenhum deles, como toda a torcida sabe, adiantou em alguma coisa. O time fracassou no Paraense, Copa do Brasil e Brasileiro.

Mas, dessa vez, precisa ser diferente. Precisa, sobretudo, de amor à camisa que veste. Se esse novo Remo terá amor à camisa, só tempo irá dizer. No entanto, sabe-se que não é só de amor que se vive. Para ser bem sucedido, é preciso também competência. Tal atributo pode ser considerado no banco de reservas: Flávio Araújo. O técnico conhecido como “Rei do Acesso” por ter subido de série três clubes em sequência, garante: “Eu cheguei, porque gosto de desafio”. E que desafio. Sair de uma seca de quatro anos sem títulos não será fácil. Para isso, Araújo estende sua fama de competente a seus jogadores. “Precisamos formar um elenco forte, de qualidade, competitivo. Se não tiver isso, treinador nenhum faz um time vencer. E é isso que estou pedindo para a diretoria”, diz ele. Um a um desses indicados foram chegando ao Baenão desde o inicio de dezembro. Hoje, já totalizam 20 contratados com mais dois atletas da base.

Será esse esqueleto que Araújo apresentará para a torcida hoje à noite contra o Japiim. “Já é uma estrutura e a partir dela é que vamos desenvolver nosso trabalho. As modificações, se ocorrerem, serão em cima dessa base que estamos implantando há duas semanas”, afirma. Então, azulinos, deem mais uma chance: esqueçam o passado e vão ao Baenão, mais uma vez. Não se sentido como enganados, mas sim, como apaixonados.

(Toni Cavalcante/Diário do Pará)

www.radioclubedopara.com.br

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.