Vitória é antídoto contra bruxaria

14/01/2013

 

Doze dias na cidade de Castanhal, em pré-temporada, sendo atrapalhado por uma “bruxa” que insistiu em aparecer até nos últimos minutos. Esse foi o “carma” que prejudicou a estadia do Clube do Remo na Cidade Modelo. Durante esse tempo todo, foram vários os problemas de lesões que prejudicaram o trabalho do técnico Flávio Araújo e deixaram o departamento médico cheio. Até o último treino, a “bruxa” voltou a dar as caras no Campo do União, local dos treinamentos.

No último coletivo por lá, o volante Tragodara, que vinha sendo titular absoluto, sentiu dores musculares e deu lugar ao meia Endy. Passaria despercebido se esse fosse o único problema. Porém, desde o início da pré-temporada, diversos jogadores viraram desfalques. Para começar, dois jogadores foram retirados da relação de última hora: o lateral-esquerdo Thiaguinho, com entorse no joelho direito, e o volante, até então titular, Jhonnhatan. Antes deles, o lateral-direito Walber também sofreu uma lesão grave. Para completar a lista, na semana passada, o meia Thiago Galhardo, que entrou muito bem no time, sofreu uma lesão grau I.

Superando as adversidades, Araújo foi armando a equipe da melhor maneira que pôde. Pelos problemas, decidiu optar pelo esquema de três zagueiros e improvisou na lateral-direita, já que o contratado para suprir a carência, Rodrigo Guerra, ainda está sem condições físicas para a partida. No meio de campo, a probabilidade de Galhardo estar apto é grande. Mas, como prevenir é melhor do que remediar, o treinador tem em mãos duas opções para a sua vaga: Josy ou Edilsinho. Entretanto, acima de todas essas adversidades, Flávio Araújo confia na vontade de vencer do seu elenco.

“Os problemas que tivemos, claro, afetaram o trabalho: perdemos dois laterais, o garoto Jhonnathan, que era titular como segundo volante, com catapora, e o Galhardo. Perdemos em opções que poderíamos dar outra proposta. Então, quando você perde em qualidade é ruim, atrapalha. Mas é válido repetir que os jogadores estão muito bem. Um time de futebol tem que ter um grupo todo com qualidade e, graças a Deus, os jogadores que aqui estão possuem isso”, garante Araújo.

Adversário preocupa, mas a vontade de vencer prevalece

A temeridade em enfrentar o Santa Cruz logo na estreia é grande em parte da torcida do Remo. Dessa forma, as perguntas a respeito se o adversário de logo mais – considerado um dos favoritos ao título em épocas em que o interior domina o campeonato – preocupa, foram inevitáveis ao elenco.

Para o lateral-esquerdo Berg, que poderá atuar avançado, a torcida será o diferencial para superar o Tigre do Salgado. “Lá tem jogadores com nível para jogar contra Remo e Paysandu. Mas nós vamos jogar em nossos domínios, com o apoio de nosso torcedor, para vencer. Com esse apoio, vamos na raça, procurar errar o mínimo possível e fazer bons contrata-ataques”, acredita.

O técnico Flávio Araújo teme, principalmente, o tempo bem maior que o adversário teve de preparação, entretanto, volta a falar na vontade de vencer de seu grupo, formado quase totalmente por jogadores de sua indicação. “É um time que vem de vários jogos já feitos e é candidato a titulo. Uma equipe já formada, treinando há certo tempo pelo Mariozinho. Mas, com a maneira que estamos nos comportando e vontade do grupo, temos totais condições de vencer”, acredita.

E MAIS…

REFORÇOS

Fontes ligadas ao Clube do Remo afirmam que mais jogadores foram contratados: o volante Gerónimo, ex-Ponte Preta, e o meia Ramon, que estava no exterior e teve passagens pelo Flamengo (RJ)

(Diário do Pará)

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.