Alguém arruma 100 mil dólares pra comprar Obina?

22/01/2013

 

A ascensão administrativa que sacudiu as estruturas do Paysandu já começa a render frutos no Brasil  inteiro. Com Vandick e companhia no comando alviceleste, uma série de medidas inéditas foram tomadas para profissionalizar o clube, incluindo aí jogadores de envergadura, como é o caso do atacante e ídolo Iarley. Toda essa projeção despertou interesse de empresários que almejam colocar craques na Curuzu.

O último deles oferecido ao Papão foi o atacante Obina, ex-Flamengo e Palmeiras, jogador de rodagem nacional teve seu nome ventilado na Curuzu, mas o preço alto demais não balançou as estruturas do Bicola por mais um medalhão. “É coisa de empresários. Ele foi mais um dos vários que são oferecidos todos os dias ao Paysandu, mas não tivemos contato com ele não”, explica o diretor de futebol Clodomir Araújo JR. O valor, segundo informações veiculadas, dava conta de um salário mensal de US$ 100 mil.

EM NÚMEROS

100 mil

dólares. Esta teria sido a pedida de Obina para aportar em terras paraenses e jogar no futebol bicolor.

E MAIS…

LUCRO DIVIDIDO

O último Re-Pa aconteceu no dia 23 de março do ano passado, por ocasião da 5ª rodada do segundo turno do Parazão. As duas equipes tiveram uma arrecadação de R$ 609.820,00, sem contar os descontos. Por isso, as diretorias de Remo e Paysandu, como acontece tradicionalmente, resolveram dividir a renda do clássico deste sábado (26), que, por tabela, seria azulina. “É uma maneira de ajudar ambas as equipes”, explica o diretor de futebol do Paysandu, Clodormir Araújo Jr.

(Diário do Pará)

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.