FPF vai intervir para diminuir prejuízos

08/04/2013

 

A cidade foi dormir na sexta-feira sem saber se haveria rodada do Parazão no final de semana. Na manhã do sábado, a Federação Paraense de Futebol (FPF) confirmou o que se desenhava – a entidade havia recebido notificação do Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e o campeonato estava suspenso. “A notificação oficial chegou por volta das duas da madrugada. Coincidentemente, no horário em que o Coronel Nunes chegava de viagem”, explicou o diretor técnico da entidade Paulo Romano.

Romano afirma que as ordens do STJD devem ser obedecidas e, por conta disso, a entidade suspendeu a competição, mas que a FPF não vai ficar de braços cruzados esperando as coisas se resolverem. “Na sua tomada de decisão, o STJD só ouviu a posição do Santa Cruz, nós ainda não tivemos a oportunidade  de apresentar nossa defesa. Por conta disso o próprio STJD convidou à federação e ao Paysandu, citados na liminar, para se apresentarem ao tribunal e é isso que faremos”, diz Romano.

O diretor técnico afirma que o próprio Coronel Nunes irá ao Rio de Janeiro e, pela manhã de hoje, deve entrar em contato com o supremo. “Nós amanheceremos no Rio e é bem possível que decisão seja revogada e o campeonato recomece”, avalia Romano.

Em paralelo a isso, o advogado da entidade, Luís Crispino, deve atuar para a celeridade do julgamento no TJD-PA do recurso de anulação da última rodada do segundo turno por parte do Santa Cruz. “Não podemos esquecer que são duas frentes a se resolver, no Rio de Janeiro e aqui. Torcemos para que as partes busquem uma solução breve”, comenta Paulo.

Pergunta que não quer calar: quando a bola rola?

Confirmada a suspensão do Campeonato Paraense até o julgamento do recurso do Santa Cruz de Cuiarana ao TJD-PA, ficou a pergunta no ar – quando a bola volta a rolar? Segundo o presidente do Tribunal de Justiça Desportiva do Pará, Antônio Barra Brito, o tribunal espera fazer o julgamento do caso o mais breve possível. “Nesta segunda não poderemos realizar o julgamento por conta da pauta cheia nesta segunda-feira. Devemos marcar uma sessão extraordinária, mas por protocolo as partes precisam ser informadas pelo menos 48 horas antes da sessão. Assim sendo, fazendo o chamamento nesta terça devemos ter a sessão por volta de quinta ou sexta-feira”, disse Barra Brito.

Antônio afirma que ainda não recebeu nenhum documento do Superior Tribunal de Justiça Desportiva e que vai procurar se orientar nesta segunda-feira sobre o caso. “Tudo o que sei é aquilo que a imprensa noticiou. De toda sorte, ordens superiores são pra serem cumpridas. Vamos procurar agilizar com transparência e celeridade o caso. Se as partes adiantarem suas reclamações e defesas, podemos ter o resultado ainda essa semana, ficando ao encargo da logística de clubes e federações o reinicio da competição”, previu o presidente do TJD-PA.

De acordo com Barra Brito, o TJD ainda não recebeu nenhum documento do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Ele explica que, ao ser notificado, terá que acionar o Paysandu e a Federação Paraense de Futebol (FPF) para que possam fazer suas manifestações, o que deve levar, no mínimo, dois dias. Somente depois disso, o julgamento será marcado.

Diretor explica a questão dos ingressos

Ainda segundo o diretor técnico da Federação Paraense de Futebol, Paulo Romano, os torcedores que porventura tenham comprado ingressos para a rodada suspensa poderão utilizá-los normalmente quando a competição for retomada ou receber o dinheiro de volta. “Caso um torcedor se sinta lesado e prefira ser ressarcido ele deve retornar ao local onde comprou seu ingresso e requerir seu dinheiro de volta a partir desta segunda-feira”, explicou Romano.

(Diário do Pará)

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.