Remistas estão confiantes em vitória contra o Fla

16/04/2013

 

O Clube do Remo viajou teoricamente ainda indefinido para o Rio de Janeiro, onde enfrentará o Flamengo, amanhã, em partida de volta da Copa do Brasil. Alguns torcedores remistas marcaram presença no Aeroporto Internacional de Belém, para passar o último apoio para o confronto, que ganhou ares de maior dificuldade após o Flamengo conseguir uma boa apresentação na vitória em cima do Fluminense pelo Carioca.

O placar de 3 a 1 quebrou uma série de resultados negativos que o time rubro-negro vinha tendo na competição. O experiente goleiro Fabiano, de 35 anos, não esconde que o Fla chega cheio de moral para enfrentar o Leão, porém, o arqueiro diz que o time acredita que pode conseguir avançar de fase. “O Flamengo vem de uma vitória no clássico e isso dá uma moral para eles, que estão ajustando a equipe com o novo treinador e vem em evolução. Eles jogaram para honrar a camisa, mas são competições diferentes. Se o objetivo deles é passar de fase, o nosso também é”, comenta Fabiano, prosseguindo.

“Respeitamos o Flamengo, sabemos da força do clube, mas sabemos que a Copa do Brasil é uma competição que dá espaço para surpresas. Dificuldade sempre vai ter, mas temos que crer sempre. Se nós não acreditarmos, quem vai acreditar na gente?”, pergunta.

Endy vai jogar improvisado

O meia azulino Endy foi alvo das atenções na manhã de ontem, durante a última movimentação antes do embarque, que aconteceu no final da tarde. E pelo que contou aos jornalistas, Endy foi escolhido pelo técnico Flávio Araújo devido a preocupação que este tem com a marcação no setor direito do Mengo, segundo análise do treinador, um dos pontos fortes do adversário.

Endy jogará improvisado como lateral, mesma forma como atuou parte do primeiro turno do Parazão. “O Flávio pediu para eu fazer uma boa marcação, não dar espaço para o atacante que vai cair do meu lado e quando chegar ao fundo, colocar a bola na área”, revela o jogador.

Mesmo afirmando que tem certa dificuldade de atuar como lateral-direito e, ao mesmo tempo, dar apoio aos atacantes, Endy se diz confiante para o jogo contra o Flamengo. “O bom é jogar. É bom atuar na posição de origem, mas o mais importante é poder ajudar o time da melhor maneira possível, seja como meia, seja como lateral, estou preparado e à disposição do professor Flávio”, garante ele. (T.C)

Berg está fora e Alex Ruan será o titular

Até o domingo, o técnico Flávio Araújo estava tranquilo na arrumação do time que irá enfrentar o Flamengo. Porém, justamente no último treino antes de viajar para o Rio de Janeiro, Araújo ganhou um ingrato problema na lateral. O titular do lado esquerdo Berg, sentiu um desconforto no adutor da coxa esquerda ao final do treino de ontem, quando jogadores já treinavam cobranças de pênalti.

“Fui bater na bola. No momento, a gente treinava cobranças de pênalti. Acho que peguei mal nela e acabei sentido”, explicou Berg, que já vinha sendo poupado de alguns treinos em virtude desse desconforto. O atleta foi encaminhado para fazer exames no período da tarde quando constaram um estiramento muscular.

De imediato, o departamento médico do Remo vetou a viagem do lateral-esquerdo para a capital carioca juntamente com o restante da delegação. “Preferimos que ele fique para cuidar do problema. Já começamos o tratamento dele e na próxima quinta-feira faremos uma nova avaliação”, comentou Ricardo Ribeiro, médico do clube, já pensando no jogo de sábado, pelo Parazão, contra o rival Paysandu.

Flávio Araújo conversou logo com o garoto Alex Ruan, que será o titular amanhã contra o Flamengo. O treinador também deu oportunidade para outro prata da casa. O meio-campista Rodrigo é quem substitui Berg na relação de atletas que enfrentarão o time carioca. (T.C)

Um Leão Azul brioso e valente

A lembrança mais marcante para Mesquita, do jogo entre Clube do Remo e Flamengo, pelo Brasileiro de 1975, não foi nem mesmo o seu gol, que sacramentou a histórica vitória por 2 a 1 em cima do Mengo, em pleno Estádio Maracanã. O ex-meia azulino não se esquece mesmo é do jornal local, que recebeu logo na manhã do dia do jogo. “Nós fomos treinar nas Laranjeiras (CT do Fluminense) na véspera e toda a imprensa carioca estava por lá. Quando eu acordei, no outro dia, um jornal local estampava que o Flamengo iria vencer por 8 a 3”, recorda Mesquita.

O jornal foi espalhado no quarto de todos os atletas da delegação azulina. Abismados com o que liam, os jogadores ainda receberam, junto com o jornal, um bilhete com um recado de Paulo Amaral, técnico da época. “Cada apartamento recebeu o jornal e um recado do Paulo Amaral, que teríamos uma reunião dali a tantas horas”, narra o ex-jogador.

Chegando à reunião com o treinador, Paulo foi irônico. “Quando chegamos, o Paulo deu uma verdadeira esculhambação na gente, como se nós fossemos os culpados. ‘Vamos embora, voltar pra Belém, já que o Flamengo já ganhou’, ele gritava. Naquele momento, aquilo mexeu com nosso brio”, assegura Mesquita. Na partida, não podia ser diferente. O Filho da Glória e do Triunfo entrou mais do que motivado: entrou para vencer.

“Nenhum de nós arregou para o Flamengo. Pelo contrário. Eles tinham um dos melhores times do Brasil, mas não estávamos com medo: entramos determinados a lutar até o fim. Se fosse para perder, íamos perder com raça. Graças a Deus, o finado Alcino fez o primeiro; o Zico empatou e eu fiz o segundo. Quando esse gol saiu, o Flamengo já estava entregue”, recorda Mesquita.

Para o reencontro de amanhã, o eterno ídolo azulino diz que não “considera nenhuma anormalidade o Remo vencer no Rio”. “Dá para acreditar. Os dois não são nem a sombra do que já foram. Mas acho que se o Remo jogar com precaução e vontade, pode vencer sim”, opina o homem que já sentiu na pele essa sensação.

“É indescritível. Uma sensação de dever cumprido e que todo o estado do Pará estava com orgulho da gente: ganhamos o Flamengo dentro do Maracanã”, encerra Mesquita, enquanto para sua caminhada para atender a um pedido de foto. Coisas de ídolo.

(Diário do Pará)

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.