Diretoria bicolor quer manter Ricardo Capanema

17/04/2013

 

Um dos jogadores mais valorizados do plantel bicolor está em fase de negociação com a diretoria para permanecer em Belém durante a Série C. O volante Ricardo Capanema, que ao lado de Vanderson compõe a cabeça de área bicolor, com muita eficiência, vale lembrar, tem seu contrato encerrado no próximo mês, e já foi sondado para deixar a capital paraense, segundo informações, pelo Vitória (BA), a mesma equipe comprou o companheiro Vanderson, em meados de 2004.

Capanema foi contratado junto ao clube como reforço para disputar a Série C, do ano passado, depois de ser campeão paraense pelo Cametá. Aos poucos foi firmando vaga entre os titulares e ganhou a confiança do técnico Lecheva devido sua característica de jogo aguerrida, que lhe valeu em algumas situações o apelido de “Cão de Guarda” da Curuzu. Todavia, a força de vontade as vezes lhe valeu algumas críticas do técnico, que o repreendeu algumas vezes pela marcação apressada, custando inclusive gol em clássico RexPa.

Com a proximidade do fim de seu contrato, rumores começaram a surgir, mas o atleta manteve-se alheio a isso, dando, vez ou outra, algumas pistas de que gostaria de receber um “aumento”. Diante dos apelos e da própria importância do jogador no elenco, a diretoria reconheceu a necessidade de manter Capanema no time e já garantiu que vem conversando sobre a extensão do vínculo com o clube.

“O Ricardo Capanema tem seu contrato com o Paysandu vencendo agora no mês de maio. Sabendo da importância do atleta, já iniciamos uma negociação com ele para acertar uma possível permanência para a Série B”, garantiu Clodomir Araújo, diretor de futebol do Papão, sem revelar se o “Cacau”, sofrerá reajuste.

A escolinha é lá na Curuzu

De olho no clássico do final de semana, o Papão da Curuzu foi de treino técnico e tático na manhã de ontem, no estádio Leônidas Sodré de Castro, a Curuzu. O trabalho, encabeçado pelo técnico Lecheva e sua comissão técnica, levou em consideração todos os aspectos que o clássico exige, como finalização, dois toques, marcação, posse de bola e movimentação.

Entre os pré-requisitos do clássico, o Paysandu precisa amadurecer alguns setores da equipe, além de tranquilizar os atletas pendurados com dois cartões amarelos. Só entre os titulares são três ameaçados, o zagueiro Raul, o volante Ricardo Capanema e o atacante João Neto. O reserva imediato de João, o jovem Heliton, também corre risco de fora do segundo jogo, mas, a princípio, pode seguir como opção de velocidade para o segundo tempo.

Apesar de ter vencido o São Raimundo/RR, na última quarta-feira (10), pela Copa do Brasil, os bicolores não sabem o que é jogar pelo Parazão desde o dia 23 de março, quando empataram em 2 a 2 com a Tuna Luso. De lá, apenas um W.O contra o Santa Cruz de Cuiarana e alguns adiamentos no campeonato. Até o Re-Pa, serão 28 dias em estado de espera para o reencontro com a Fiel Bicolor. O reencontro traz, além do ingrediente tradicional, o detalhe que reside bem longe da capital. Qualquer vacilo dos remistas, diante do Flamengo, pode significar um grande apoio ao Papão.

Ataque titular já está à disposição 

Outro detalhe bem lembrado pelos bicolores, em relação ao clássico de sábado, diz respeito aos reforços à disposição do técnico Lecheva. Apesar de três jogadores estarem pendurados com dois cartões amarelos, outros três, que despertavam dúvida quanto às condições de jogo, já retornaram ao time. Elas por elas, o Papão vai completo para tentar a terceira vitória em Re x PA, em 2013.

Quando viajou a Boa Vista, o Paysandu enfrentou o São Raimundo diante de condições desfavoráveis ao futebol característico. Não bastasse isso, o atacante João Neto recebeu entrada dura do jogador adversário, que lhe valeu imediatamente um encontro com o departamento médico. Autor de 10 gols no Estadual, João Neto passou alguns dias em recuperação e só ontem foi liberado.

Além dele, Rodrigo Alvim já vinha treinando junto aos companheiros, mas não atuou em Roraima. Desta vez, vem sendo cotado para retornar à lateral-esquerda, que tem Pablo como substituto imediato. Já o atacante Iarley pediu à diretoria do clube um tempo para resolver assuntos familiares, mas já participou do último treino técnico.

Entre os jogadores pendurados, é difícil manter a serenidade. Assim entende o zagueiro Raul. “Eu estou com dois cartões amarelos, mas se tiver que meter o pé, eu vou fazer tudo em prol do Paysandu e da nossa torcida”, completa.

(Diário do Pará)

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.