Papão apresentou os novos uniformes para a Série B

25/04/2013

 

Há tempos o salão nobre da sede social do Paysandu não recebia um evento com tamanha pompa como na noite desta quarta-feira, por ocasião do jantar comemorativo dos 10 anos da célebre vitória bicolor sobre o Boca Juniors, por 1 a 0, em plena La Bombonera, e de quebra, bicolores de todos os cantos da cidade puderam ver em primeira mão o novo manto sagrado que irá vestir o Papão na Série B.

Em meio a imagens da vitória na Libertadores, o mestre de cerimônia convocou a nação alvi-azul convidada para conhecer em primeira mão os novos uniformes confeccionados pela Puma, terceira maior marca esportiva do mundo. Hoje acontece o lançamento oficial para o público.

Antes, o presidente Vandick Lima, o vice-presidente Sérgio Serra, além de outros convidados, usaram a palavra para agradecer o apoio da toda comunidade bicolor.

APRESENTAÇÃO

Coube aos próprios atletas servirem de modelo, numa intimidade distante como a dos gramados, mas o suficiente para levantar aplausos dos presentes. O atacante Iarley apresentou o uniforme principal. Já Vanderson, Yago Pikachu e Paulo Vitor apresentaram os demais, entre uniforme de treino, camisa comemorativa, agasalho para viagens e uniforme dos goleiros.

“É uma alegria muito grande estar presente em um capítulo dessa história brilhante do Paysandu, na qual me orgulho muito de estar participando”, disse o atacante Iarley, sobre a presença no evento. Além dele, bicolores de alta plumagem, como o atacante Robgol, Zé Augusto, Velber, Lecheva, entre outros, completavam o time de craques do passado e do presente.

Recuperado, Dalton deixa a Curuzu

Contratado junto ao Paysandu para disputar a Série C do ano passado a pedido do então técnico Roberval Davino, o goleiro Dalton deixa o plantel bicolor, após acordo com a diretoria do clube. O goleiro de 26 anos, que se recuperou de uma lesão no ombro, da época em que era titular, viu suas chances de voltar à titularidade serem reduzidas, o que pesou na decisão.

“Eu tive uma conversa há duas semanas e ficou definido que eu não iria permanecer no clube. A decisão foi deles. A minha primeira opção era ficar, enquanto a segunda era procurar algum clube para jogar”, disse o arqueiro, que passou por cirurgia e longo tempo de recuperação. Na sequência, vieram os goleiros Paulo Wanzeler, Paulo Rafael e Zé Carlos.

“Eu estou me sentindo muito bem. Fico triste por não permanecer, porque tive uma grande contribuição no clube, no ano passado, mas as coisas não acontecem como a gente planeja”.

O fato de permanecer até agora no clube era porque, devido ter sofrido lesão em atividade, o goleiro não poderia ser liberado até finalizar o tratamento. Com ele pronto para jogar, a diretoria achou prudente acertar uma rescisão amigável.

“Agora é partir para outro desafio, aguardar o que será feito. Não sei para onde vou, tem algumas coisas em aberto e para onde for, vou dar o meu melhor, como foi aqui no Paysandu”, assegura o atleta.

Mudanças para dar o troco no rival

Quando se esperava que o técnico Lecheva fosse comandar treino coletivo somente nesta quinta-feira, eis que o trabalho com bola acabou realizado na manhã de ontem, no campo do Kasa. E a especulação sobre a utilização de atletas da base, em substituição aos jogadores suspensos, ganha cada vez mais força para o jogo de sábado diante do Clube do Remo, às 18h30, no Mangueirão, pelas semifinais da Taça Estado do Pará.

Ao todo, cinco mudanças aconteceram na base titular do Papão. Devido à suspensão de Raul, Ricardo Capanema e Heliton, o treinador optou por Thiago Costa, Billy e o artilheiro João Neto, respectivamente. Além dessas mudanças, houve alterações no setor de armação. Devido uma atividade de reforço muscular, o “maestro” Eduardo Ramos foi poupado e, em seu lugar, Alex Gaibu retornou ao elenco principal.

A última, e não menos significativa alteração, aconteceu na lateral-esquerda. O baixo rendimento de Rodrigo Alvim, no último Re-Pa, abriu caminho para a entrada do zagueiro Pablo, que vem sendo constantemente acionado naquele setor para forçar mais a saída de bola em contra-ataque. Os demais titulares pertencem à base recém-escalada, como Paulo Rafael, Yago Pikachu, Diego Bispo, Vanderson, Djalma e Iarley. Titulares e reservas empataram em 1 a 1.

Mais cotado para o lugar de Capanema, o volante Esdras não treinou por conta de uma lesão no tornozelo da qual se recupera.

Mas de acordo com o departamento médico do clube, tanto ele quanto Eduardo Ramos não preocupam e devem ser relacionados para o clássico. As novidades e o ritmo intenso traduzem um sentimento coletivo de entrar em campo diante do maior rival para devolver o resultado do último sábado – 2 a 1 para o Remo – e assegurar a vaga.

“É um trabalho cansativo, as pernas ficam um pouco pesadas, mas estamos nos preparando para um jogo importante e tudo que for decidido pela comissão técnica em conjunto com o técnico Lecheva será bem recebido por todos”, assegura Pablo.

Sem espaço para as ‘noitadas

Depois de enfrentar uma maratona de jogos em boa parte do Campeonato Paraense e a consequente pausa que retirou os jogadores de campo por quase 30 dias, a comissão técnica do Paysandu prevê que o momento requer cautela, sobretudo por causa das competições por vir, caso da Série B do Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil, esta atualmente em disputa.

Diante do calendário confuso, soma-se a isso o quadro de lesões adquiridas por alguns jogadores. Nesse quesito, o preparador físico, Wellington Vero, acredita que muitas dificuldades podem ser superadas caso haja empenho correto do plantel.

“Acabou aquela época em que existia a noite para combinar com o atleta. O que nós fazemos aqui ele pode estragar tudo se for para a noite. Então, a gente conscientiza. Eu sempre chamo aquele cara que cumpre tudo, dentro e fora de campo, de atleta alto nível. Tudo está mudando”, garante, citando que, entre as mudanças, uma das mais significativas foi em relação à concentração da equipe, antecipada para esta quinta-feira.

“É muito bom, porque você descansa bem os atletas. Eles vêm de uma maratona grande de jogos. Se você descansa, você integra mais o grupo, sabe o que eles necessitam e para se chegar numa vitória, é preciso saber de tudo isso”.

(Diário do Pará)

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.