Diretor do Barcelona está em São Paulo para contratar Neymar

16/05/2013

Raúl Sanllehí chegou na capital paulista

nesta quarta-feira (15)

O homem designado pelo Barcelona para fechar a contratação de Neymar chegou na quarta-feira (15) a São Paulo. Raúl Sanllehi, diretor de futebol do clube catalão, está à espera de um chamado da diretoria santista para bater de vez o martelo e definir a ida do craque em julho, depois da Copa das Confederações.

 

Sanllehi é o mesmo dirigente que esteve no Brasil em 2011 costurando a contratação do atacante. Na época a transferência foi fechada numa sexta-feira à noite por 55 milhões de euros (R$ 143 milhões em valores de hoje), mas o contrato seria redigido no fim de semana para ser assinado na segunda e nesse intervalo o Real Madrid atravessou a negociação. 

Desta vez o Barça se cercou de cautela para não correr o risco de ficar sem o jogador em cima da hora. Os termos do acordo foram discutidos com o presidente em exercício do Santos, Odílio Rodrigues, no encontro da semana passada em Madri, e apresentados ontem aos integrantes do Comitê Gestor do clube. Se receber o aviso de que a proposta foi aceita, Sanllehi irá ao encontro da cúpula santista para concluir a operação. Mesmo que isso ocorra antes de domingo, o anúncio oficial da transferência só deverá ser feito no início da semana que vem. E nesse caso o jogo contra o Corinthians na Vila Belmiro provavelmente será o último de Neymar com a camisa santista. 

 

A informação obtida é de que o Barcelona ofereceu 27 milhões de euros (R$ 70,2 milhões) ao Santos. Esse valor é metade do que o clube espanhol teria gasto se tivesse levado o craque em 2011, mas superior ao valor proporcional da multa rescisória. Quando Neymar decidiu ficar na Vila e fez um novo contrato com o Santos – encurtando a duração em um ano, de 2015 para 2014 -, a multa foi fixada em 65 milhões de euros (R$ 169 milhões pelo câmbio). Cumpridos dois terços do contrato, seu valor de mercado passa a ser de um terço da multa, ou 21,6 milhões de euros (R$ 56,1 milhões). 

Se Neymar não for vendido agora, em janeiro poderá assinar um pré-contrato com o Barcelona – quando faltarão seis meses para seu vínculo chegar ao fim – e desembarcar de graça na Espanha depois da Copa do Mundo. É por isso que o Santos não tem poder de barganha para fazer muitas exigências. 

Caso o negócio seja mesmo fechado por 27 milhões de euros, a divisão do bolo será feita da seguinte maneira: 55% para o Santos (R$ 38,5 milhões), 40% para a DIS (R$ 28 milhões) e 5% para a Teisa (R$ 3,5 milhões). 

A maior bolada, no entanto, irá para a conta de Neymar: 20 milhões de euros (R$ 52 milhões) como prêmio por ter se comprometido com o Barça em novembro de 2011 e resistido ao assédio do Real Madrid. Sem falar que a imprensa espanhola garante que o clube já adiantou a ele 10 milhões de euros (R$ 26 milhões) há um ano e meio. 

Braços abertos – O contrato já discutido com Neymar e seu pai terá validade até junho de 2018, com salário anual de 7 milhões de euros (R$ 18,2 milhões) e os 100% dos direitos de imagem livres para ele – o Santos fica com 10% de seus contratos de publicidade e o Real Madrid leva 50% da imagem de seus astros. 

O meia Xavi, um dos líderes do elenco do Barça, deixou claro ontem em entrevista coletiva que torce muito pela chegada do craque santista. ‘Neymar é um jogadoraço, com muita habilidade e uma grande capacidade para encarar o marcador no um contra um. Se ele chegar mesmo o elenco com certeza o receberá com muito afeto’. 

Fonte: Estadão.com.br 

Foto: Arquivo O Liberal

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.