Náutico corre o risco de ficar fora da Série D

21/05/2013

 

A diretoria do Náutico está prestes a tomar uma atitude inadmissível para o futebol profissional roraimense: desistir da Série D do Campeonato Brasileiro de 2013 por falta de dinheiro. Até o momento, o presidente do Clube, Adroir Bassorici não conseguiu as cotas de patrocínio suficientes para manter o time durante os quatro meses da competição e a única saída para o clube pode ser a desistência.

Quem já anda torcendo para que isso aconteça é o Clube do Remo do Pará. A diretoria do time paraense já teria inclusive entrando em contato com o presidente do Náutico, para sondar as chances do time roraimense. “Ligaram para saber se o Náutico ia ou não participar da Série D, informei que ainda estávamos dependendo de apoio. O Náutico só vai disputar se conseguir parceiros”, declarou. O clube tem até o dia 26 de maio para decidir.

Adroir declarou que o Clube receberá da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) recursos para aquisição de passagens aéreas, translado e estadia nos jogos fora de casa. Todas as outras despesas em casa serão por conta do clube: folha de pagamento dos jogadores, R$ 43 mil mensal, e custos operacionais como: cota de arbitragem, passagem aérea dos árbitros, alimentação dos árbitros, hospedagem dos árbitros, gandulas e seguranças, totalizando uma despesa aproximada de R$ 20.000,00 por jogo.

O início da Série D está programado para o dia 2 de junho e somente a primeira fase deve durar até o dia 25 de agosto. De acordo com Adroir, se o Náutico confirmar participação na competição, somente de salários dos jogadores serão mais quatro meses.

O presidente do clube lembrou que Roraima pode ser mais uma vez o único estado a não ter um representante na principal competição do futebol profissional do Brasil. Mesmo reconhecendo o retrocesso ao futebol roraimense que isso pode causar, Adroir enfatizou que não pode correr o risco de assumir o compromisso com a CBF e depois desistir no meio do caminho. “Se não houver apoio suficiente, vamos ter que abrir mão da competição para não sofrer sanções por faltar aos compromissos”, comentou.

Adroir destacou que já teve conhecimento através dos veículos de comunicação, que alguns times da região Norte integrantes do grupo do Náutico conseguiram cotas de patrocínio de órgãos públicos na faixa de R$ 1 a 2 milhões para disputar a primeira fase. “Pelo visto não teremos o apoio esse ano e sendo assim vamos ficar de fora. Há clubes da Série D da região Norte que receberam até R$ 2 milhões para disputar a competição. Não precisamos de tudo isso, se chegasse pelo menos a 10% desse valor, teríamos condições de colocar um time competitivo na Série D”, contou.

Para o presidente do Náutico, o time está bem estruturado e com jogadores de qualidade para representar muito bem o Estado na Série D. Segundo ele, o time só não foi mais longe na competição do ano passado porque houve uma paralisação. “Estamos com um trabalho sério e no ano passado poderíamos ter alcançado bons resultados, mas houve uma paralisação e acabou atrapalhando o ritmo do nosso time. Se nesse ano tivermos apoio, com certeza vamos honrar a bandeira do nosso Estado. Por isso apelamos aos empresários, políticos e todas as pessoas que queiram nos ajudar”, finalizou.

Fonte: Ribamar Rocha

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.