Há novos jogadores ansiosos para jogar no Papão

31/05/2013

 

Das sete contratações feitas para a Série B deste ano, aos poucos, novos convocados vão surgindo para compor os relacionados a cada jogo. Da estreia duvidosa de Janílson, contra o Asa, até o gol de Careca, anulado pela arbitragem, contra o Ceará, o desempenho coletivo já levanta um questionamento e todos sabem que o Paysandu precisa melhorar. Quem sabe disso é o técnico Lecheva que, aos poucos, vai testando um a um os seis novos comandados.

Vale lembrar, contudo, que as estreias de Janílson e Careca ocorreram forçadamente: na primeira, o lateral-esquerdo Rodrigo Alvim sofreu lesão e Janílson foi chamado às pressas. Já na terça, o atacante Rafael Oliveira teve um problema de pressão alta, minutos antes da partida contra o Ceará, forçando a comissão técnica a vetá-lo, e colocar o estreante Careca. Se o panorama for mantido, certamente mais alterações devem surgir.

“Futebol é resultado. Não adiantou nada fazer duas partidas boas, sem sair com a vitória. Se o professor achar que precisa mexer, todo mundo está consciente disso. Não tem mais desculpa, temos que conseguir a vitória no próximo jogo”, sentencia o zagueiro Raul. As novidades para esta partida ficam por conta do zagueiro Fábio Sanches e agora o volante Zé Antônio, aptos a compor o banco bicolor.

Os demais, o goleiro Marcelo, o meia Diego Barboza e o zagueiro Jean, aguardam apenas alcançar a condição física ideal, para, de fato, integrarem o plantel bicolor, que entra na terceira rodada da competição sem vencer. “Não sei como está a parte física dos atletas, mas eles vão ajudar. A prova foi o Careca. Com cinco dias de clube jogou bem e ajudou. A gente precisa estar bem, haja vista que a Série B precisa de um elenco bom, amplo e com preparo para enfrentar essa maratona sem baixar o nível”, conclui Eduardo Ramos.

Elenco pode abastecer outras equipes

Quando o presidente do Paysandu, Vandick Lima, concedeu entrevista, na qual declarou existir a possibilidade do clube emprestar alguns jogadores para times paraenses que disputarão a Série C e D, imediatamente os nomes começaram a pipocar no imaginária da torcida e dirigentes. Com propostas do Paragominas e Águia, aos poucos o futuro de alguns atletas no Paysandu podem ser modificados.

Quem oficializou o último pedido foi o próprio Sebastião Ferreira, o “Ferreirinha”, presidente do azulão marabaense. “Nós demonstramos o interesse pelos jogadores e fizemos uma proposta para o Vandick. Ele ficou de conversar com a comissão técnica para saber se os atletas estão nos planos do técnico Lecheva”, disse. Esdras e Heliton estão na mira do dirigente.

A decisão será diretamente do técnico Lecheva. “Todo início de campeonato, término de outro, existe uma renovação. Jogadores que chegam, outros que perdem um pouco de espaço no elenco, e para esses, é melhor emprestá-los, colocá-los em evidência”, defende Lecheva.

O plantel bicolor trabalha atualmente com 31 atletas, e a contar com os reforços, esse número pode alcançar algo em torno de 38 a 39 jogadores. “Nós ainda não sentamos para analisar quais nomes daqueles que não vão ter tantas oportunidades assim em detrimento daqueles que estão chegando, mas, com certeza será tudo muito tranquilo”, completa Lecheva.

(Diário do Pará)

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.