Vem aí: ‘O Remo chamou, eu vou!’

29/07/2013

 

O mês de agosto só começa na próxima quinta-feira (1), mas a diretoria do Clube do Remo já irá mostrar todo o seu planejamento para o restante do ano amanhã, em uma reunião aberta a sócios e todos os torcedores do clube, a partir das 19 horas, na sede social, localizada na avenida Nazaré. Durante o encontro, o presidente Zeca Pirão vai fazer a sua primeira prestação de contas. Além disso, haverá o lançamento do programa ‘O Remo chamou, eu vou’.

Na reunião, os novos diretores do departamento de marketing e futebol terão a oportunidade de ficar frente a frente com os torcedores, para mostrar as novas ideias para a reestruturação do Leão. “O Clube do Remo está de portas abertas. Queremos colocar o torcedor do nosso lado, nos apoiando. Para isso, faremos essa reunião aberta para que todos tenham conhecimento de nossas boas intenções”, destaca o diretor comercial, Stefani Henrique.

“Essa reunião será de suma importância para a nossa nova diretoria, não só para nós mostramos a todos, mas por fazermos algo inédito no clube, que vai ser a prestação de contas de um mês de gestão do presidente Pirão. Além disso, começaremos o programa de resgate do nosso sócio-torcedor com o ‘O Remo chamou, eu vou’. Vai ser tudo diferente”, completa.

O levantamento feito pela nova diretoria à frente do programa sócio-torcedor constatou que o Leão possui 22.550 sócios cadastrados. Do total, 11.550 são sócio-proprietários e 11.000 sócio-remidos, dos quais apenas 1.200 estão com pagamento em dia. ‘O Remo chamou, eu vou’ terá o intuito de fazer a regularização desses sócios, oferecendo a anistia das mensalidades em atraso. “Nossa meta é chegar, até janeiro de 2014, aos cinco ou seis mil sócios em dia. Ainda é pouco. Mas, só com esses números conseguiremos uma receita somente para o futebol em torno de R$ 180, 200 mil. Com o tempo, esses números irão aumentar. O Remo terá uma gestão profissional, andando com as próprias pernas. Vai ser o fim da abnegação. O principal patrocinador do clube será o torcedor”, aposta Stefani.

Diretoria promete vantagens aos associados 

Para atrair novos sócios, juntamente com o programa de anistia do ‘O Remo chamou, eu vou’, a diretoria do programa sócio-torcedor irá ofertar aos associados muito mais que ingressos em dias de jogos. Na reunião de amanhã, os dirigentes azulinos vão mostrar diversas metas de revitalização, tanto da sede social, como do estádio Baenão. Todas com intuito de privilegiar o sócio que estiver com pagamento em dia.

Para a sede, a diretoria providenciou a construção de restaurantes, além da volta dos eventos festivos aos finais de semana. “Iremos trazer a vida social de volta ao clube”, promete Stefani Henrique. Mas é no Evandro Almeida que a diretoria pretende fazer as principais parcerias. Em uma delas, o arquiteto Aurélio Meira vai entregar o projeto de revitalização do estádio, que vai ganhar camarotes, cadeiras vips e cativas para o sócio. Dessa forma, a capacidade do estádio passaria para 18 mil lugares.

Fora isso, através de uma parceria estabelecida com Henrique Custódio, vice-presidente de futebol, uma academia deve ser montada na Toca do Leão. “Nosso torcedor é apaixonado e não estamos pensando somente nele torcendo no estádio. Queremos que ele participe da vida do clube. E temos certeza de que com a paixão da nossa torcida, conseguiremos alcançar nossas metas”, ressalta Stefani.

Seria uma grande ajuda fora de campo

O Clube do Remo pode receber um novo alívio nos cofres durante esta semana. Na sexta-feira passada (26), a diretoria azulina enviou, via Federação Paraense de Futebol (FPF), para a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), a documentação que comprova que o lateral-direito Cicinho iniciou a carreira nas divisões de base do clube. A intenção dos dirigentes é conseguir um percentual do valor da recente transferência do atleta da Ponte Preta para o Santos. Mas, o caso do lateral não deve ser o único que pode render ao Leão.

A diretoria contratou um escritório de São Paulo, especializado em fazer varreduras de jogadores formados pelo clube. Segundo o vice-presidente Maurício Bororó, o escritório já está trabalhando no caso de um jogador da Europa que pertence ao clube. “O escritório já começou a fazer uma varredura dos nossos jogadores. Tomamos conhecimento de que um jogador que está na Europa pode pertencer ao Remo e, se for comprovado, iremos receber”, revela.

De acordo com a lei, o Leão tem direto a 5% na negociação de Cicinho. “Já enviamos toda a documentação e esperamos que possa dar tudo certo porque vai ser um dinheiro que chegará em um bom momento. Na semana passada, em virtude da visita do Papa, a CBF praticamente não funcionou. Mas, acreditamos no bom senso da Confederação”, destaca o vice-presidente.

Embora esteja à frente das negociações, Bororó admite ainda não saber o valor que o Remo poderá receber. “Não sabemos por quanto ele foi transferido, só o que foi especulado na mídia”, conta.

A diretoria do Remo segue o exemplo da direção do Paysandu. Há pouco tempo, o presidente Vandick Lima viajou a Santos para cobrar o percentual referente aos direitos federativos do meia Paulo Henrique Ganso, transferido para o São Paulo. Por ter tido participação na formação do atleta, o Papão conseguiu R$ 452 mil na transação.

(Diário do Pará)

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.