Conmebol veta estádios para final da Libertadores e deixa 11 ‘desabrigados’

30/12/2013

 

Campinas, SP, 29 (AFI) – A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) divulgou a lista com os estádios liberados para receber a final da Copa Libertadores de 2014. Nada menos que 11 times terão de sair de sua cidade, caso cheguem à final, já que não possuem estádios com a capacidade mínima de 40 mil lugares previstos no artigo 9 do regulamento. Além da final, a Conmebol também definiu que os estádios devem possuir até 10 mil pagantes na fase de grupos e até 20 mil entre as oitavas de final e as semifinais.

No entanto, a Conmebol abre uma brecha em seu próprio regulamento. Abaixo da tabela, a entidade publica um texto dizendo que os alguns estádios ainda podem entrar na lista da final. “Os estádios que não figuram na tabela anterior (com os 17 estádios), mas que tenham sido sedes de jogos de Eliminatórias da Copa do Mundo da Fifa, Campeonatos Mundiais e Campeonatos Continentais, poderão ser utilizados nas Finais da Copa Bridgestone Libertadores, com prévia autorização do Comitê Executivo da Conmebol”, disse o comunicado.

Dos 11 clubes fora da lista da entidade, todos são estrangeiros. Entre eles Lanús e Arsenal (Argentina), Oriente Pretrolero (Bolívia), O’Higgins (Chile), Independiente del Valle (Equador), Real Garcilaso (Peru), Caracas e Zamora (Venezuela), e Santos Laguna, León e Monarcas Morelia (México).

O único brasileiro que ficou sem um estádio na lista da Conmebol foi o Atlético-PR. Isso porque a Arena da Baixada está em reformas para a Copa do Mundo, enquanto o a Vila Capanema (Paraná) e Couto Pereira (Coritiba) não possuem a capacidade mínima exigida. A boa notícia para o Furacão é que sua casa remodelada estará pronta quando acontecerão as finais, em 6 e 13 de agosto.

Os demais clubes brasileiros não terão dificuldade alguma para a decisão. Pelo contrário, poderão usufruir de arenas moderníssimas se comparadas aos demais estádios Sul-Americanos. O Grêmio jogará na Arena do Grêmio, Cruzeiro e Atlético-MG podem atuar no Mineirão, enquanto Flamengo e Botafogo têm o Maracanã à disposição.

E o Lanús? 
Um fato curioso é a presença do Lanús entre os clubes que não poderão decidir em casa, caso cheguem à final. A decisão da Conmebol sai menos de 20 dias, após o time argentino disputar e vencer a decisão da Sul-Americana contra a Ponte Preta no Estádio La Fortaleza, que, pelo menos na época, tinha capacidade para 47 mil pessoas.

Assim como o Atlético-MG – que manda seus jogos no acanhado Independência -, vários clubes terão de mandar jogos no campo do rival, caso queiram decidir na cidade de origem. O pequeno Unión Española, por exemplo, terá de jogar no Estádio Nacional de Santiago, que recebe partidas da Univerdidad de Chile normalmente. O local pode receber 47 mil torcedores.

O caso mais inusitado, contudo, acontecerá no Equador. Emelec e Deportivo Quito terão de atuar no estádio particular de seus arquirrivais se quiserem decidir na próprio cidade. O primeiro teria que atuar no estádio do Barcelona-EQU, em Guayaquil. Já o time de Quito terá de atuar no estádio da LDU, Casa Blanca. A mesma situação é vivida pelo Sporting Cristal, no Peru.

Confira a lista de estádios liberados:

Argentina
Estádio José Amalfitani (Vélez Sarsfield)
Estádio Marcelo Bielsa (Newell’s Old Boys)
Estádio Nuevo Gasômetro (San Lorenzo)

Bolívia
Estádio Hernando Siles (Bolívar e The Strongest)

Brasil
Arena do Grêmio (Grêmio)
Mineirão (Cruzeiro e Atlético-MG)
Maracanã (Botafogo e Flamengo)

Chile

Estádio Nacional (Universidad de Chile e Unión Española)

Colômbia
Estádio Atanasio Girardot (Atlético Nacional)
Estádio Pascual Guerrero (Deportivo Cali)
Estádio El Campín (Santa Fé)

Equador
Estádio Casa Blanca (Deportivo Quito)
Estádio Monumental (Emelec)

Paraguai

Estádio Defensores del Chacho (Cerro Porteño, Nacional e Guaraní)

Peru
Estádio Monumental (Universitario e Sporting Cristal)

Uruguai
Estádio Centenário (Peñarol, Nacional e Defensor Sporting)

Venezuela
Está Olímpico Jose Antonio Anzoategui (Deportivo Anzoátegui)

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.