Paysandu vence, mas ainda tem muito a crescer

13/01/2014

 

No sufoco. Foi assim a estreia do Paysandu no Campeonato Paraense, ontem à tarde, na Curuzu. A vitória, por 2 a 1, sobre o Gavião Kyikatejê veio nos últimos minutos, quando o time bicolor passava por momento dramático e o torcedor já não tinha esperança no resultado. Mas, ao final dos 90 minutos, acabou prevalecendo a maior experiência dos bicolores, que tiveram a calma necessária para reverter o placar. As dificuldades, porém, já eram esperadas pelo pouco tempo de preparação do time para a competição.

O primeiro tempo foi todo bicolor. Disposto a fazer valer o fator campo e o apoio da Fiel, o Papão saiu para o ataque desde o início do jogo. Antes dos 2 minutos, Charles, aproveitando falta cobrada por Pikachu, quase abre o placar num chute que desviou na zaga e saiu pela linha de fundo.

O time alviazul dominava o meio-campo e saia bem para o ataque, explorando principalmente o lado direito. A maior dificuldade para os bicolores nem era bem o adversário, mas sim o gramado, bastante encharcado pela chuva que caiu antes do começo do jogo. O Gavião só se defendia, não apresentando a menor disposição ofensiva.

Superior, o Papão esteve umas três vezes perto de inaugurar o marcador, todas por intermédio de Lima. De tanto tentar, aos 24, finalmente aconteceu o primeiro gol. Djalma cruzou da direita e Lima, com estilo, testou para a rede. O gol fez justiça ao maior volume de jogo do time listrado, que ainda teve mais duas jogadas de perigo ambas protagonizadas pelo zagueiro João Paulo.

O Papão voltou para o segundo tempo desgastado fisicamente. O Gavião aproveitou para pressionar o adversário, tendo em Balão Marabá, substituto de Malaquias, sua principal referência. Aos 31, o visitante aproveitou o seu bom momento no jogo para chegar ao empate. Balão cobrou falta da direita e Aru, sem marcação, testou para a rede.

A partir do empate, o Papão voltou a ter atitude em campo, chegando à vitória já nos acréscimos. Pikachu cobrou falta na área, a bola encontrou a cabeça de Zé Antônio, que balançou a rede, tirando o time do sufoco e evitando um desastre logo na abertura do Paraense.

Vitória, ok. Mas time tem muito a crescer

Autor do gol que tirou o Paysandu do sufoco na vitória sobre o Gavião, o volante Zé Antônio admitiu que o time bicolor ainda vai precisar melhorar muito para chegar ao ponto ideal. “Não tivemos tanto tempo para preparar a equipe e isso, claro, foi sentido neste primeiro jogo”, salientou. “Na pré-temporada não chegamos nem mesmo a fazer um coletivo completo, com dois times de onze pela falta de jogadores no grupo”, completou.

O volante, no entanto, ressaltou a importância da vitória sobre o time indígena. “São três pontos que lá na frente podem fazer a diferença”, apontou. Sobre o gol, Zé comentou. “Estou feliz por ter ajudado o nosso time com o gol que fiz, mas mais contente ainda pela vitória de nossa equipe”, declarou.

O volante começou a partida no banco de reservas. Somente aos 17 minutos do segundo tempo foi acionado pelo técnico Mazola Júnior para entrar no lugar de Vanderson. Zé comentou as condições do gramado, bastante castigado pela chuva que caiu antes do começo da partida.

“A tendência é sempre de o campo ficar ainda pior no segundo tempo. Este foi outro problema que tive de superar junto com os companheiros. Felizmente conseguimos o resultado esperado, o que nos dá tranquilidade para a sequência do campeonato”, comentou.

(Diário do Pará)

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.