Ratinho pediu pra sair, mas foi convencido a ficar

21/01/2014

 

Depois de assistir novamente das arquibancadas a terceira vitória do Clube do Remo no Campeonato Paraense, o meia-atacante Ratinho pensou seriamente em deixar o time, com o qual tem contrato até dezembro deste ano. O motivo para tal desejo tem sido a falta de oportunidade na equipe do técnico Charles Guerreiro. A única participação, até aqui, foi na partida contra o Independente, quando entrou no lugar de Eduardo Ramos.

O atleta teve uma longa conversa com a diretoria do clube, reiterando a vontade de deixar a toca azulina, mas, logo em seguida, decidiu pela sua permanência no Leão Azul. “Eu resolvi tudo, pensei bem e com certeza vou continuar aqui no Remo. Não vim para cá por acaso. O Pirão foi o presidente que me trouxe, então, alguma coisa tem reservada para mim no futuro”, disse.

Outro caso semelhante teria sido a sondagem do Gavião Kyikatejê sobre o atacante Val Barreto. O “Valotelli” jogou apenas na estreia azulina, contra o Cametá, mas esteve visivelmente fora de forma e perdeu vaga para o centroavante Leandrão. Desde então, segue como opção na lista de Charles Guerreiro, mas segundo o diretor de futebol, Thiago Passos, não houve proposta. “Não existiu contato algum de times interessados no Val Barreto”.

E pensando nesse tipo de situação, até por contar com 29 jogadores no elenco, todos, praticamente, do mesmo nível técnico, o diretor se mostrou atento à demanda. “Montamos uma comissão técnica formada, além dos profissionais do futebol, por um psicólogo do esporte. Temos trabalhado individualmente para que eles possam assimilar que fazem parte de um grupo. Todos são jogadores de nível, mas nem todos jogam, isso acontece. O importante é que haja o entendimento sobre a necessidade do clube”, reitera Thiago Passos.

(Diário do Pará)

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.