Tática bicolor derrubou o adversário

27/01/2014

 

O técnico do Paysandu, mesmo ousando utilizar um esquema tático com poucos treinamentos, conseguiu “dobrar” o técnico adversário, Charles Guerreiro, no clássico de ontem à tarde, no Mangueirão. Com a escalação de três jogadores na zaga, sendo que Vanderson e, depois Augusto Recife, se revezavam entre a defesa e o meio-campo, o Papão conseguiu neutralizar as investidas azulinas, principalmente no primeiro tempo do Re-Pa.

Mesmo tendo apenas um jogador de criação no meio-campo, no caso Héverton, mais tarde substituído por Bruninho, o Papão foi quem mais chegou ao gol no primeiro tempo. Mas, como havia dificuldade nas saídas para o ataque pelo meio, que ganhava na marcação, com dois volantes (Zé Antônio e Ricardo Capanema), mas perdia na criação, o time bicolor explorava com eficiência as investidas pelas laterais, principalmente pelo lado direito, onde Djalma reinava absoluto.

O domínio bicolor foi nítido no primeiro tempo. A vantagem acabou por se traduzir na vitória parcial por 2 a 0. O Remo até chegou a marcar presença na área bicolor em algumas oportunidades, mas sem qualquer efeito prático diante da bem posicionada defesa listrada, onde Charles dava as cartas e era muito bem auxiliado por João Paulo e Vanderson até os 33 minutos, quando saiu lesionado.

No segundo tempo, com a entrada de Zé Soares no lugar de Athos, o Remo passou a ter um time mais solto e criativo ofensivamente. Soares se aproximou mais de Leandrão e Potiguar, aumentando o poder de fogo do setor de frente da equipe. E foi assim que o Leão chegou ao seu único gol.

A superioridade remista durou até pouco mais da metade do segundo tempo, quando o técnico Mazola sacou Zé Antônio para a entrada de Pablo, que passou a segurar mais o meio-campo remista.

(Diário do Pará)

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.