CARIOCA: Vasco perde de virada da Cabofriense em São Januário e fica em 4.º lugar

24/02/2014

 

Rio de Janeiro, RJ, 23 (AFI) – O Vasco tropeçou em casa e perdeu para a Cabofriense por 2 a 1, neste domingo, em São Januário. Manteve-se em quarto lugar no Campeonato Carioca, mas ficou distante dos três primeiros – Flamengo, Fluminense e o próprio time da Região dos Lagos. A equipe jogou mal, embora tenha acertado três vezes a trave do adversário. Com a vitória do Botafogo sobre o Fluminense, por 3 a 0, o Vasco se vê agora ameaçado na luta por uma vaga na semifinal da competição.

BRIGA PELA CLASSIFICAÇÃO
Apenas os quatro primeiros colocados vão chegar às semifinais. Já foram realizadas 10 jogos e cada time fará mais cinco jogos. No momento, estariam classificados o Flamengo, com 25, o Fluminense, com 22, o Cabofriense, com 22 e o Vasco da Gama, com 18. Perto dali estão o Nova Iguaçu, com 16, Botafogo e Friburguense, com 15.

De outro lado, na zona de rebaixamento estão o Audax, com seis pontos, e o Bonsucesso, com oito. Há outros times ameaçados, como Resende e Duque de Caxias, com oito; Macaé, com nove, e Volta Redonda, com 10.

VASCO COMEÇOU BEM
O time de Adilson Batista tomou a iniciativa do jogo e, logo no primeiro ataque, Douglas cabeceou a bola na trave. A torcida se animou. Aos 15 minutos, depois de criar outras chances, Edmílson aproveitou cruzamento de André Rocha e abriu o placar. A impressão era que os donos da casa continuariam dominando a partida.

Mas nem houve tempo para comemorações. Em 12 minutos, a Cabofriense virou o jogo. Primeiro, com Pará, após uma falha do zagueiro Jomar. E depois com Fabrício Carvalho, em outro lance que contou com a colaboração do defensor do Vasco.

TREMEDEIRA IMPEDIU REAÇÃO
Aturdida, a equipe de São Januário se descontrolou e não conseguiu reagir. A Cabofriense passou a levar mais perigo nos contra-ataques. Até a metade do segundo tempo, o técnico Adilson Batista já tinha feito as três substituições possíveis. Tornou o time bastante ofensivo, com a entrada de Bernardo, William Barbio e Thalles. Ao mesmo tempo, deixou a defesa mais vulnerável.

Na base do “abafa”, com bolas alçadas sobre a área, o Vasco tentou o empate. E a trave voltou a salvar a Cabofriense em outra finalização de cabeça, de Luan. Antes, Fellipe Bastos também já tinha acertado a trave dos visitantes numa cobrança de falta. A afobação da equipe não deu resultado e a torcida não perdoou jogadores e Adilson Batista. Deixaram o gramado sob vaias.

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.