Copa Verde: Brasília trata decisão do STJD como absurda e confia em reviravolta

30/07/2014

 

Brasília, DF, 29 (AFI) – O que era festa, virou frustração. Por uma decisão da Primeira Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), o Brasília foi punido, por unanimidade, pela escalação irregular de quatro jogadores, que resultou na perda do título da Copa Verde e consequentemente a vaga na Copa Sul-Americana 2015. A conquista acabou sendo herdada pelo Paysandu, porém, o clube candango irá recorrer e segue confiante em uma reviravolta.

Incrédulo, o Paysandu tratou a decisão como absurda e não poupou críticas à Confederação Brasileira de Futebol e à comissão julgadora. O Colorado acredita que a entidade máxima do futebol brasileira atrapalhou o clube ao emitir um documento assumindo a culpa por ter publicado tardiamente os nomes dos jogadores no Boletim Informativo Diário, o BID.

“A decisão foi absurda. Passou por cima de provas, regulamento e pelo próprio fato. Infelizmente perdemos, mas estamos confiantes em reverter a situação. Temos três dias para entrar com recurso. Vamos apresentar novas provas. Nossos advogados estão trabalhando duro e vão mostrar que os jogadores nunca deixaram o BID. Somos o legítimo campeão. Ganhamos no campo. O Paysandu está certo de tentar o título pelos tribunais, mas não precisamos disso. Tenho total confiança que vamos conseguir provar que não cometemos nenhuma irregularidade e seremos nomeados campeões novamente”, afirmou o supervisor de futebol do Colorado, Régis Carvalho, em entrevista ao Portal Futebol Interior.

O dirigente garantiu que conferiu o Boletim Informativo Diário antes da decisão da Copa Verde e os nomes do quatro jogadores estavam presente. Régis Carvalho ainda afirmou que a CBF acabou os prejudicando e que a comissão não levou em conta as provas apresentadas pelo lado do Brasília, entre eles o BID acumulado.

O Julgamento no Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva deve acontecer em menos de 30 dias.

ENTENDA O CASO
Semanas após a decisão, o Papão, através de seus diretor jurídico, Alberto Maia, fez a denúncia sobre uma possível irregularidade de quatro jogadores do Brasília na final da Copa Verde. Entre eles, estavam o lateral-direito Fernando, o zagueiro Índio, o meia Gilmar e o atacante Igor.

O dirigente, na época, chegou a afirmar ao Portal FI que a própria CBF já havia confirmado a irregularidade. “A CBF confirmou a irregularidade. Agora, estamos no aguardo da Procuradoria (do Superior Tribunal de Justiça Desportiva). Caberá a ela denunciar ou arquivar o processo”, explicou na oportunidade. “Isso só reflete a realidade dos fatos. A Justiça prevalecerá”, completou.

De acordo com a acusação, Gilmar teria renovado o contrato com o Brasília e não estaria com seu nome incluso no Boletim Informativo Diário (BID). O Colorado tinha prazo para regularizar o novo contrato até às 19 horas do último dia 17 de abril (quinta-feira). No entanto, conforme o documento conseguido pelo departamento jurídico do Bicolor, isso só ocorreu somente às 20h34. Já os demais três jogadores sequer constaram no BID.

Quando a denúncia foi feita, a ferramenta do BID, no site oficial da CBF, não constava contrato entre Gilmar e Brasília. Constava apenas uma rescisão contratual, que fora publicada somente nesta quarta-feira, com o número de inscrição 175936.

Por outro lado, o supervisor de futebol do Brasília, Régis Carvalho tratou com ironia as acusações feitas pelos cartolas do Paysandu. Ao ser questionado sobre a acusação de que o lateral-direito Fernando, o zagueiro Índio, o meia Gilmar e o atacante Igor não estavam regularizados, o dirigente atacou o rival.

“Eu sento e dou gargalhada . Continuo a chamar o Papão de bobão. Eles tomaram duas ‘porradas’ (sic) no ano do centenário e, agora, estão querendo tumultuar. Sinceramente, não sei o que eles estão querendo. Acho que querem desviar o foco pela derrota para o Remo”, disparou Carvalho, na época ao Portal FI.

Com a decisão em Primeira instância, fica valendo o resultado nos tribunais. O Colorado passa o título da Copa Verde e também com a vaga à Copa Sul-Americana de 2015 ao Paysandu. Dentro das quatro linhas, o time candango venceu os paraenses nos pênaltis, por 7 a 6, no Mané Garrincha. Na ida, o Papão venceu por 2 a 1, mas na volta perdeu pelo mesmo placar.

Fonte: http://www.radioclubedopara.com.br/noticia.php?nIdNoticia=56135&nTipo=0

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.