Novo gramado do Baenão já está castigado

26/12/2014

 

Ex-presidente azulino e principal responsável pelas obras de reforma, ainda inacabadas, no estádio Evandro Almeida, Zeca Pirão afirma que há exagero na dimensão dada aos problemas do estádio do Clube do Remo e garante que há condições de deixá-lo pronto para uso já na estreia do Parazão 2015.

“Todo ano nós temos que renovar os laudos do estádio e quem estava aqui viu como resolvemos com velocidade essa questão assim que finalizamos a primeira parte das obras ano passado. Aqui nós resolvemos tudo com velocidade”, alegou o ex-dirigente azulino.

O criticado gramado do Baenão estaria, nas palavras do presidente, em situação ruim por conta de um problema na máquina de cortar grama do estádio.

“Vinte dias antes de sair da presidência, eu mandei arrumar o gramado. Coloquei gramas novas onde faltava, como na área do goleiro, onde o desgaste é grande. Nivelamos o gramado com areia, como é feito em todo país, e jogamos adubo duas vezes. Quando voltei vi a grama alta e perguntei a um funcionário que disse que a máquina (de cortar) está com defeito. Mandei recuperar a máquina, trocar umas peças para cortar o gramado”, conta Pirão.

Segundo o ex-presidente, o principal problema para o estado ruim de um gramado novo, de boa qualidade, em tão pouco tempo, foi o excesso de uso.

“O que houve foi que em um ano o time profissional e a base treinaram o ano todo, então desgastou o gramado”, alegou.

Zeca Pirão ainda afirma que após o corte faltariam apenas duas ações para preparar o relvado – aplicação de esterco de frango e nivelamento com rolo. “Aí o gramado fica perfeito, como o torcedor viu durante o Parazão”.

Sobre a situação das arquibancadas com pilares desgastados, ele afirma que havia uma obra em andamento com relação a isso.

“Antes de sair eu já tinha mandado descascar todas as áreas que estavam fofas da arquibancada na direção da Almirante Barroso. Depois disso iríamos lixar as ferragens e depois aplicar pintura com tinta para metal. Enfim, eu ia fazer a recuperação com a argamassa própria para esse tipo de estrutura. Tenho certeza que até o dia 1º de fevereiro dá para deixar o estádio em condições de receber a estreia no Parazão”, afirmou o ex-dirigente.

(Diário do Pará)

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.