Regulamento I Copa Sesi de Verão Futebol Society 2015

03/07/2015

Federação das Indústrias do Estado do Pará
Serviço Social da Indústria – Departamento Regional do Pará

Unidade SESI Ananindeua Telefone: 3235-0889 – 3235-1674
Rod. Mario Covas Km 02 S/N
REGULAMENTO GERAL DA COPA SESI VERÃO
FUTEBOL SOCIETY 2015


I – DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

Art. 1º Este regulamento é o conjunto das disposições que rege a competição da COPA SESI VERÃO FUTEBOL SOCIETY.
Art. 2º A realização da COPA é de competência do SESI – Departamento Regional que sedia a competição. A Rádio Clube do Pará será responsável pela cobertura jornalística.
Art. 3º A Coordenação Geral da Copa SESI Verão Futebol Society será de responsabilidade do Gerente da Unidade SESI Ananindeua, cabendo à coordenação técnica e operacional da equipe de Esporte e Lazer da unidade que estabelecem as normas complementares de organização e desenvolvimento operacional, sob supervisão e aprovação direta do Gerente Executivo de Cultura, Esporte e Lazer do SESI/PA.

II – DOS OBJETIVOS

Art. 4º A Copa SESI Verão Futebol Society têm por finalidade reunir, por meio do esporte, empresários, industriários e equipes convidadas estimulando a prática esportiva na empresa, promovendo o intercâmbio sociocultural, divulgando amplamente o SESI à comunidade, estreitando as relações entre o capital e trabalho, buscando a melhoria da qualidade de vida e o exercício pleno da cidadania.
Parágrafo Único. O SESI entende que em cada dirigente esportivo e em cada trabalhador-atleta encontrará o verdadeiro esportista, colaborador para o êxito da atividade, igualmente preocupado em alcançar os objetivos de entendimento humano, de convivência fraterna e harmonia.

III – DOS PARTICIPANTES

Art. 5º As empresas da indústria e da agroindústria são, por meio dos seus trabalhadores e equipes convidadas, os participantes legítimos da Copa SESI Verão Futebol Society.
Parágrafo Único – A indústria e equipes convidadas, habilitadas a participar da competição em questão cumprirão fielmente o Regulamento da Competição e as normas regulamentadoras.
Art 6º Podem participar da competição os trabalhadores formalmente registrados sob o mesmo Radical do número do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) na respectiva Pessoa Jurídica da Indústria ou Agroindústria há pelo menos 30 dias de carteira assinada, e convidados desde que autorizado pela direção da empresa industrial, as equipes convidadas poderão inscrever no máximo 2 atletas com a idade mínima de 16 anos (completos até 31 de dezembro) e menos de 18 anos desde que apresente autorização dos pais, ficando as indústrias livres para inscrever nesta condição (16 à 18 anos) desde que devidamente registrado conforme condição anterior (carteira assinada).
Federação das Indústrias do Estado do Pará
Serviço Social da Indústria – Departamento Regional do Pará
Unidade SESI Ananindeua Telefone: 3235-0889 – 3235-1674
Rod. Mario Covas Km 02 S/N
Parágrafo Único – Para efeitos deste regulamento, será considerado o Radical do CNPJ para indústrias, apenas os 08 (oitos) primeiros dígitos do CNPJ, ou seja, os números antecedentes a barra.
Fica liberada a participação de no máximo 03 convidados sem vínculo empregatício com a indústria para as empresas industriais participantes desde que autorizado pela diretoria da empresa.

IV – DAS INSCRIÇÕES

Art. 7º. A participação das equipes será formalizada mediante o devido preenchimento da Ficha de Inscrição, que deverá ser encaminhada até a data do término das inscrições.
1ª Parágrafo – Será permitido 18 atletas relacionados na ficha de inscrição e dois representantes /diretor
2ª Parágrafo – No ato da inscrição, juntamente com a Ficha de Inscrição, a equipe deverá apresentar a seguinte documentação comprobatória (cópia), de cada um dos atletas a serem inscritos:
I. Cópia de qualquer um destes documentos RG, Passaporte, CTPS, Carteira de motorista ou carteira de conselho regulamentar da profissão; todos com validade atualizada.
II. Declaração de responsabilidade assinada pelo trabalhador/atleta com assinatura do representante, garantindo que possui as condições físicas necessárias para participação na atividade física e isentando o SESI de quaisquer responsabilidades relacionadas a seu estado de saúde;
III – Declaração de autorização de participação, assinado pelos pais no caso de atleta menor de idade.
Art. 8º. As equipes participantes poderão solicitar substituição de atletas relacionados na ficha de inscrição até o dia 17 de julho de 2015, ficando limitado em 3 substituições.
Art. 9º. Será permitida a inscrição e a presença de um técnico e 1 auxiliar e ou 2 representante-diretor, não atleta no banco de reservas.
Art. 10º. Na inscrição para participação na Copa SESI Verão Futebol Society, fica autorizada a utilização da imagem de todos os atletas, técnicos e representantes, sem ônus ao Sistema FIEPA/SESI, Rádio Clube, grupo RBA e site Parasoccer, para o projeto de atualização do banco de imagens da Copa SESI, sendo que a mesma poderá ser veiculada em filmes e comerciais de televisão, cinema ou qualquer outra mídia impressa, eletrônica ou digital para serem veiculados/utilizados em território nacional por prazo indeterminado utilizado pelas instituições CNI/SESI/SENAI.

V – DAS COMPETIÇÕES

Art. 11. As partidas terão início respeitando-se a hora fixada no Boletim ou na Nota Oficial ou tabela da competição atualizada e amplamente divulgada. Somente haverá tolerância de 15 minutos para a primeira partida da rodada e as demais partidas seguênciais da rodada iniciarão logo após o termino da partida anterior sem direito a tolerância de tempo. A equipe que não se apresentar no local da disputa na hora estabelecida, devidamente uniformizada, com uma bola em boas condições de jogo oficial e em condições de iniciar o confronto, será considerada perdedora mediante decisão da Coordenação Técnica.
Federação das Indústrias do Estado do Pará
Serviço Social da Indústria – Departamento Regional do Pará
Unidade SESI Ananindeua Telefone: 3235-0889 – 3235-1674
Rod. Mario Covas Km 02 S/N
Art. 12. Somente poderão competir atletas uniformizados, de acordo com as regras oficiais das modalidades esportivas, sendo que as camisas deverão obrigatoriamente ser numeradas na frente com a medida de no mínimo de 8 centímetros e na costa com a medida mínima de 15 centímetros. Obs: Só será permitido na 1ª rodada a camisa sem o número de 8cm na frente da camisa, sendo que a partir da 2ª rodada até o final da competição será obrigatório, a equipe que não tiver com a devida numeração a partir da 2ª rodada até o final perderá os pontos da partida por irregularidade no uniforme de jogo.
Parágrafo Único. No caso de coincidência nas cores dos uniformes, e o árbitro principal da partida determinar a troca de uniforme, será feita uma consulta aos capitães das equipes e ou representante-diretor de quem poderá fazer a troca de uniforme e caso nenhuma das equipes envolvidas não tiver condições de troca, será realizado um sorteio, e a equipe perdedora terá 10 minutos para trocar o uniforme sob pena de perda dos pontos da partida em questão. Sugere-se que todas as equipes tenham a disposição um segundo conjunto de uniformes.
Art. 13. Todos os atletas deverão apresentar, obrigatoriamente, ao representante da equipe de arbitragem designado para mesa, antes do início do jogo, a cédula de identidade, que poderá ser substituída pela Carteira Profissional atualizada ou pela Carteira Nacional de Habilitação (CNH) com fotografia, ou pelo Passaporte, Carteira de Registro Profissional e Carteira de Reservista.
Parágrafo Único. Não serão aceitos documentos que ponham em dúvida a condição legal do atleta.
Art. 14. As partidas suspensas no seu decorrer, por qualquer motivo, e que não possam ser reiniciadas em 1 (uma) hora terá sua continuidade, sempre que possível, antes da rodada subsequente da competição, prevalecendo o resultado e o tempo anteriormente decorrido, sendo que as punições registradas na súmula serão mantidas.
1º Parágrafo – No reinício da partida, obrigatoriamente, os atletas deverão ser os mesmos presentes em jogo na hora da paralisação.
2º Parágrafo – A equipe que causar o término de uma partida, seja por número insuficiente de jogadores, seja por expulsões e/ou contusões simuladas, será considerada perdedora, independentemente do resultado/placar no momento do término da partida. Nesses casos:
I. A equipe adversária será considerada vencedora mantendo-se o
resultado/placar do jogo no momento do término da partida.
II. Caso o resultado/placar beneficie a equipe que ocasionou o término da partida, serão atribuídos ao adversário os pontos do jogo com o placar mínimo, de acordo com cada modalidade.
Art. 15. A equipe que incorrer em perda por W.O. será eliminada da competição.
1º Parágrafo – Serão atribuídos ao adversário os pontos do jogo com o placar mínimo, de 5 x 0, adotando-se o mesmo procedimento para os jogos por realizar, sendo que os resultados dos jogos realizados permanecerão inalterados em todos os seus aspectos, não cabendo protesto.
Parágrafo – 2º Os cartões, as punições e gols ou pontos marcados ocorridos nas partidas realizadas não serão cancelados.
Federação das Indústrias do Estado do Pará
Serviço Social da Indústria – Departamento Regional do Pará
Unidade SESI Ananindeua Telefone: 3235-0889 – 3235-1674
Rod. Mario Covas Km 02 S/N
Art. 16. Na hipótese de atraso ou ausência do árbitro escalado, caberá à Coordenação Técnica ou ao representante do SESI decidir sobre a transferência da partida ou designar um elemento capacitado para dirigi-la.

VI – DOS PROTESTOS

Art. 17. Para as equipes, é facultado protestar contra irregularidades verificadas durante o jogo, sempre que puderem comprovar que alguma equipe deixou de cumprir os aspectos legais do presente Regulamento.
1º Parágrafo – O protesto deverá ser encaminhado pelo representante-diretor.
2º Parágrafo – O protesto deverá ser registrado em súmula, antes do fechamento desta, ratificado por escrito e protocolado na Coordenação Técnica no prazo de duas horas após o encerramento da partida. Com este deverá ser entregue como caução um cheque nominal ao Serviço Social da Indústria no valor de 1 (um) salário mínimo vigente no País.
3º Parágrafo – O protesto que não apresentar a documentação comprobatória e a caução não poderá ser julgado, sendo considerado incompleto.
4º Parágrafo – Caso o protesto seja julgado improcedente, o valor da caução será recolhido aos cofres do Serviço Social da Indústria, mediante recibo fornecido pela Coordenação Técnica da Copa. Sendo o protesto julgado procedente, o valor da caução será devolvido à equipe impetrante após o julgamento.
5º Parágrafo – Os protestos deverão ser fundamentados com provas circunstanciais ou fatos que possam evidenciar a irregularidade e redigidos em termos adequados. A Coordenação Técnica guarda-se o direito de não enviar à Comissão Julgadora os protestos sem as respectivas provas e os que versarem sobre arbitragem.
Art. 18. A equipe protestada quanto à suspeita de fraude em documento de vinculação à equipe tem responsabilidade de justificar-se mediante contraprova à Comissão Julgadora.

VII – DA COMISSÃO JULGADORA

Art. 19. São passíveis de punição todos aqueles que, direta e indiretamente ligados a Copa, provoquem distúrbios ou tentem desvirtuar as finalidades da competição, apresentando protestos improcedentes, críticas difamatórias, ou outros atos que tumultuem a organização do evento, sob pena de advertência, suspensão e exclusão.
Art. 20. É competência da Comissão Julgadora apreciar protestos interpostos pelos participantes das competições promovidas pelo SESI.
Parágrafo Único. Quando houver necessidade, o SESI poderá basear-se no Código Brasileiro de Justiça e Disciplina Desportiva – CBJDD.
Art. 21. A Comissão Julgadora é constituída por oito membros representantes oficiais, um de cada equipe masculina participante e 4 membros, um de cada equipe feminina participante, sendo um presidente, um relator, um secretário e demais membros.
Parágrafo Único. A Comissão Julgadora pode atuar com a presença mínima de três membros.
Art. 22. O presidente, o relator e o secretário são escolhidos entre os membros da Comissão. Não havendo acordo entre estes, a escolha será por sorteio.
Federação das Indústrias do Estado do Pará
Serviço Social da Indústria – Departamento Regional do Pará
Unidade SESI Ananindeua Telefone: 3235-0889 – 3235-1674
Rod. Mario Covas Km 02 S/N
Art. 23. A Comissão Julgadora reúne-se sempre que convocada pela Coordenação Técnica.
Art. 24 É expressamente vedada à participação de integrantes da Coordenação Técnica no julgamento dos casos, exceto:
I. Para instalação de sessão até a escolha do presidente.
II. Para assessorar tecnicamente a Comissão. III. Quando solicitada pela Comissão.
Art. 25. Cabe ao presidente da Comissão Julgadora organizar a sessão e determinar o início dos trabalhos e a leitura, pelo relator, dos casos levados a julgamento.
1º Parágrafo – O presidente estabelecerá o tempo, em minutos, concedido às partes para se pronunciarem, apresentando suas ponderações.
2º Parágrafo – As equipes envolvidas no processo não terão direito a voto, para tomada de decisão.
3º Parágrafo – As provas deverão ser apresentadas por escrito, juntadas ao processo, podendo também ser ouvidas testemunhas previamente arroladas, no máximo duas de cada parte.
Art. 26. A votação da Comissão Julgadora será iniciada imediatamente após a instrução do processo. Os votos e a pena deverão ser fundamentados.
1º Parágrafo – O primeiro a votar será o relator, seguido do secretário e demais membros.
2º Parágrafo – O presidente votará somente em caso de empate no julgamento.
Art. 27. Encerrado o julgamento, será procedida a leitura do seu resultado, sendo de imediato aplicadas as penalidades e publicadas as resoluções.
Parágrafo Único. Não caberá recurso sobre a decisão tomada pela Comissão Julgadora.
Art. 28. Deverá ser lavrada a ata, descrevendo pormenorizadamente os trabalhos e as ocorrências de cada reunião da Comissão Julgadora, que será encaminhada à Coordenação Técnica após o término da sessão.

VIII – DAS NORMAS DISCIPLINARES

Art. 29. As normas disciplinares obedecem à disposição deste Regulamento.
Art. 30. Fica suspenso por uma partida:
I. O atleta que completar a primeira série de cartões amarelos. A série será considerada como sendo o recebimento de dois cartões.
II. O atleta ou membro da comissão técnica citado em súmula por prática de irregularidades, mesmo sem ter sido expulso durante a partida.
III. O atleta que for punido com um cartão vermelho.
Federação das Indústrias do Estado do Pará
Serviço Social da Indústria – Departamento Regional do Pará
Unidade SESI Ananindeua Telefone: 3235-0889 – 3235-1674
Rod. Mario Covas Km 02 S/N
Art. 31. Fica suspenso por duas partidas:
I. O atleta que completar a segunda série de cartões amarelos.
II. O atleta ou membro da comissão técnica reincidente no inciso “II” do artigo anterior.
Art. 32. Fica suspenso por três partidas:
I. O atleta que completar a terceira série de cartões amarelos.
II. O atleta ou membro da comissão técnica que ofender ou reclamar de forma ostensiva, por gestos ou palavras, a equipe de arbitragem ou representantes do SESI.
Art. 33. Fica eliminado da então edição da Copa SESI Verão Futebol Society:
I. O atleta ou membro da comissão técnica que for punido com cartão vermelho, desde que esta punição esteja relatada em súmula como ato de indisciplina.
II. A equipe, seus atletas, na hipótese de competição coletiva, bem como o atleta, que burlarem quaisquer das disposições do presente Regulamento.
III. O atleta ou membro da comissão técnica que tentar praticar ato de agressão ou revide contra assistência, adversário, companheiro de equipe, equipe de arbitragem e representante do SESI.
IV. O atleta ou membro da comissão técnica que for reincidente no inciso “II” do artigo anterior.
V. A equipe, seus atletas, que tiver cinco ou mais atletas expulsos em uma mesma
partida.
VI. A equipe, seus atletas, na hipótese de competição coletiva, que abandonarem o local da competição durante o seu transcorrer sem permissão do árbitro, exceto por impossibilidade física.
Art. 34. Fica suspenso da próxima edição da Copa SESI Verão Futebol Society, mediante julgamento:
I. A equipe, seus atletas, e membros da comissão técnica que causarem invasão de campo ou cancha por torcedores, citados no relatório da arbitragem.
II. O atleta ou membro da comissão técnica que praticar atos de agressão ou revide contra assistência, adversário, companheiro da equipe, equipe de arbitragem e representante do SESI, citado no relatório da arbitragem.
III. A equipe, seus atletas, que contar com três ou mais pessoas incursas no inciso “III” deste artigo.
Parágrafo Único. A equipe, seus atletas, e membros da comissão técnica, na
reincidência de qualquer letra deste artigo, ficam suspensos por três anos das atividades esportivas do SESI.
Art. 35. A equipe, seus atletas, e membros da comissão técnica inclusos nos artigos 36, 37, 38 e 39 cumprirão as penas imediatamente, não havendo necessidade de instalação da Comissão Julgadora.

IX – DAS PREMIAÇÕES

Art. 36. A premiação de troféus e medalhas ocorrerá da seguinte forma:
I. Troféus, para as equipes classificadas em 1º, 2º e 3º lugares em todos os naipes.
II. Medalhas, para as equipes classificadas em 1º, 2º e 3º lugares em todos os naipes.
Federação das Indústrias do Estado do Pará
Serviço Social da Indústria – Departamento Regional do Pará
Unidade SESI Ananindeua Telefone: 3235-0889 – 3235-1674
Rod. Mario Covas Km 02 S/N

X – DA COORDENAÇÃO TÉCNICA

Art. 37. A Coordenação Técnica é de competência de professores de Educação Física da Unidade promotora da competição, sob supervisão da Gerência de Cultura, Esporte e Lazer do SESI Pará.
Art. 38. Além das competências já inclusas no Regulamento, cabe à Coordenação Técnica:
I. Estabelecer as adaptações às regras oficiais das modalidades, quando necessário;
II. Definir o sistema de disputa a ser adotado nas competições por modalidade e a forma de sorteio a ser efetuado nos Congressos Técnicos;
III. Estabelecer os programas, as tabelas e os sistemas de disputa para os jogos e as competições;
IV. Fixar as datas e os locais das competições, bem como o prazo, se necessário, para transferi-las;
V. Dar ampla divulgação aos eventos e respectivos resultados mediante boletins,
notas e outros meios de comunicação;
VI. Determinar as condições de jogo aos atletas e às equipes inscritas nas competições;
VII. Aplicar e fiscalizar o cumprimento do Regulamento;
VIII. Esclarecer as dúvidas referentes à parte técnica das competições.

XI – DO REGIMENTO TÉCNICO

Art. 39. Este Regimento Técnico regerá a competição da Copa SESI Verão Futebol Society, com as exceções nele previstas e no Regulamento Geral.
Parágrafo Único. A Copa SESI Verão Futebol Society regem-se pelas regras oficiais vigentes da respectiva confederação da modalidade esportiva em questão, excetuando-se as modificações ressalvadas neste Regulamento.
Art. 40. Os árbitros serão designados pelo Departamento Regional do SESI, não podendo ser vetados pelas equipes participantes.
Art. 41. Para jogar, o atleta será identificado através de um dos seguintes documentos de identificação: Cédula de Identidade (RG), Cédula de Identidade Categoria profissional, Carteira Profissional atualizada (CTPS), Carteira Nacional de Habilitação (CNH) com fotografia, Passaporte, Carteira do Estado Maior das Forças Armadas (EMFA) ou Reservista, em caso de extravio ou roubo de documentos poderá apresentar o boletim de ocorrência policial com validade de até 15 dias a partir da data de emissão.
Federação das Indústrias do Estado do Pará
Serviço Social da Indústria – Departamento Regional do Pará
Unidade SESI Ananindeua Telefone: 3235-0889 – 3235-1674
Rod. Mario Covas Km 02 S/N

XII – DOS CRITÉRIOS DE DESEMPATE

Art. 42. Em caso de empate na classificação: nas competições realizadas no sistema de rodízio, para se conhecer os mais bem colocados o desempate deverá obedecer aos seguintes critérios:
I. Entre duas equipes:
a) Confronto direto na fase;
b) Saldo de gols na fase;
c) Maior número de gols marcados na fase;
d) Saldo de gols em todos os jogos realizados na competição;
e) Equipe com menor número de cartões recebidos na competição, sendo que o cartão amarelo tem peso 1 e o cartão vermelho peso 2;
f) Sorteio.
II. Entre três ou mais equipes:
a) Maior número de vitórias na fase entre as equipes empatadas;
b) Saldo de gols nos jogos na fase entre as equipes empatadas;
c) Maior número de gols marcados na fase entre as equipes empatadas;
d) Saldo de gols nos jogos realizados na fase;
e) Maior número de gols nos jogos realizados na fase;
f) Saldo de gols marcados por jogo em toda a competição;
g) Melhor média de gols marcados por jogo em toda a competição;
h) Equipe com menor número de cartões recebidos na competição, sendo que o cartão amarelo tem peso 1 e o cartão vermelho peso 2;
i) Sorteio.
Parágrafo Único. Cada sequência de critérios de desempate adotada nos incisos “I” e “II” será seguida até se esgotarem todos os itens.
Art. 43. Na modalidade Futebol Society, as seguintes normas devem ser observadas:
I. A equipe é composta por 14 (quatorze) integrantes, sendo 12 (doze) atletas e 2 representantes/ diretor;
II. A partida é disputada em dois tempos de 20 minutos corridos, com 10 minutos de intervalo;
III. As substituições serão indeterminadas livres e volantes por partida, conforme a regra da modalidade;
IV. A idade para a categoria principal é de no mínimo 16 anos completos até o dia 31 de dezembro do ano corrente da realização da competição;
V. É obrigatória a presença de 7 (sete) atletas para que o jogo seja iniciado, podendo a equipe ficar reduzida a até 4 (quatro) atletas durante o jogo;
VI. Somente é permitido o uso de tênis society e /ou futsal para a modalidade;
VII. O uso de caneleiras para a prática de futebol society é obrigatório e o atleta identificado sem o seu uso no campo de jogo será punido com o cartão amarelo;
VIII. A pontuação por partida é:
a) 3 (três) pontos para vitória.
b) 1 (um) ponto para empate.
c) 0 (zero) ponto para derrota.
Federação das Indústrias do Estado do Pará
Serviço Social da Indústria – Departamento Regional do Pará
Unidade SESI Ananindeua Telefone: 3235-0889 – 3235-1674
Rod. Mario Covas Km 02 S/N
IX. Em caso de empate, no Sistema de Rodízio, entre as equipes na pontuação final, utilizam-se os critérios para desempate descrito no Capítulo XIII deste regulamento;
X. Em caso de empate nas partidas finais, ou havendo necessidade de apontar um vencedor em função do sistema de disputa, o jogo será decidido em 01 (uma) série de 03 (três) tiros livres diretos na marca do pênalti, cobrados de forma alternada por jogadores diferentes que estiverem relacionados na súmula e não tenham sido expulsos durante a partida; persistindo o empate haverá tantas séries alternadas quantas forem necessárias de 01 (um) tiro livre direto até que se conheça o vencedor;
XI. Os casos omissos serão resolvidos pela Comissão Organizadora.

XV – DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Art. 44. O SESI não se responsabiliza por qualquer acidente que possa ocorrer com atletas ou terceiros durante a realização dos Jogos.
Art. 45. Os danos causados às dependências onde se realizam os Jogos são de exclusiva responsabilidade das equipes ou atletas motivadores destes, e devem ser reparados no prazo de 72 horas, sob pena de não participação da próxima edição da Copa SESI Verão Futebol Society.
Art. 46. As reuniões técnicas são realizadas em horário e local designados previamente pela Coordenação Técnica.
Parágrafo Único. As deliberações e decisões tomadas são indiscutíveis, irrecorríveis e irreversíveis. O não comparecimento ao Congresso Técnico implica aceitação total das decisões.
Art. 47. Os órgãos oficiais de comunicação e informação são o Boletim e a Nota Oficial.
Art. 48. A inscrição de uma equipe é considerada como evidência de que conhece e se compromete a respeitar as regras de cada modalidade esportiva deste Regulamento e da Coordenação Técnica.
Art. 49. Todo integrante das equipes deverá portar sempre, para sua segurança e eventual necessidade, sua carteira de identidade.
Art. 50. Os casos omissos do presente Regulamento serão resolvidos pela Coordenação Técnica da competição, ouvidos os interessados, desde que necessário.
Este é o Regulamento da Competição aprovado de forma unânime no Congresso Técnico dia 02/07/2015 com a participação dos representantes oficiais das equipes inscritas e habilitadas a participar da competição nos naipes masculino e feminino, bem como a aprovação da tabela oficial feita por sorteio.
A Coordenação Técnica.
Federação das Indústrias do Estado do Pará
Serviço Social da Indústria – Departamento Regional do Pará

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.