Duelo de Remo e Paysandu é nas arquibancadas

09/11/2015

 

Se em campo, Remo e Paysandu não se enfrentam em Brasileiro desde 2006, fora das quatro linhas a velha e sadia rivalidade continua cada vez mais viva. Mesmo com os clubes em diferentes divisões do Nacional, a disputa ocorre nas arquibancadas, espécie de termômetro para se medir a força de cada um. E este ano, o cabo de guerra travado entre os rivais, pendeu folgadamente para o lado do Leão, no tocante à arrecadação. Em apenas quatro jogos em Belém, pela desprestigiada Série D, o time remista conseguiu faturar mais do que o Papão, em 17 jogos até aqui, pela cobiçada Série B. Uma diferença de pouco mais de R$ 30 mil, valor significativo, levando-se em conta o comparativo de partidas feitas por cada uma das equipes.

 

O balanço do Leão na Série D é bastante positivo, embora pudesse ser ainda melhor, caso o time não tivesse sido obrigado a fazer três jogos em Paragominas, por decisão da justiça desportiva. Ainda assim, o campeão paraense chegou a marca de 107.730 ingressos vendidos, o que dá uma média de 15.390 torcedores, por jogo. Levando em conta esses números, caso tivesse disputado os seus primeiros três jogos no Mangueirão, o clube teria hoje 153.900 torcedores na somatória geral.

 

Apesar dos jogos do time no interior, que tiveram um público total de apenas 3.606 torcedores, a tendência é que a Série D seja encerrada com o Leão na liderança do ranking de público entre os 40 participantes do campeonato. Botafogo e River, segundo e terceiro colocados, respectivamente, possuem total de público de 74.940 e 54.314, com média de 10.706 e 7.759 torcedores. Números bem distante dos ostentados pelo Leão Azul.

 

Se na Série D, o torcedor do Leão deu um show nas arquibancadas, na Série B, o Paysandu não está deixando por menos. O Papão supera em número de público até aqui, Botafogo-RJ, Vitória-BA, recém rebaixados da Série A, Ceará-CE e Santa Cruz-PE para ficar só nestes. Os bicolores, em 17 partidas como mandante – apenas duas na Curuzu e as demais no Mangueirão – acumulam um total de 249.984 torcedores, com média de 14.795 por partida.

 

O Papão só é suplantado pelo Bahia-BA, que até a 33ª rodada contava com um total de 263.337 torcedores e média de 17.556, com o time baiano tendo, ainda, a seu favor o fato de ter disputado dois jogos a menos como mandante (17 x 15). Em termos de arrecadação, o Papão faturou até aqui R$ 2.623.328,58. O valor é inferior aos R$ 2.640.896,09 embolsado pelo Leão. Ressalte-se o fato de o Papão ter feito, até aqui, 10 jogos a mais que o rival, além da média do valor do ingresso ser menor. Nesse Re-Pa, portanto, o Leão parece ter ficado na frente em 2015. Mas ainda tem jogo para o Papão. A conferir…

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.