Projeto de futsal atende crianças carentes

26/12/2015

 

Pelo terceiro ano consecutivo, o Centro Educacional da Emília (Cedemi) premiou os melhores do projeto social de futsal da escola, localizada na Cidade Nova V, em Ananindeua, durante evento realizado na noite de ontem. O colégio onde o meio-campista Paulo Henrique Ganso estudou durante a infância encerrou a temporada de forma positiva, com a esperança de que outros jovens promissores sigam o mesmo caminho do ex-aluno, atual jogador do São Paulo.

 

Além de atender meninos e meninas da própria escola desde 2013, o Cedemi também abre as portas para receber crianças de outros projetos sociais e/ou de famílias carentes. “Para aqueles que não são alunos do colégio, o projeto funciona com um integrador de realidades, já que os garotos têm a possibilidade de disputar o Campeonato Paraense e até de viajar para torneios internacionais e nacionais, fazendo com que aquele sonho de todo menino, de ser jogador de futebol, possa estar mais perto de se tornar realidade”, ressaltou.

 

Ao comando do técnico Leandro Lima, em apenas dois anos de atividades o Cedemi já chegou às finais do Paraense e participou do torneio internacional de futsal em Balneário Camboriú (SC). Porém, a maior conquista foi lançar dois garotos para alguns dos maiores clubes do Brasil: Jorge Victor Braga Diniz, o Victinho, está nas divisões de base do São Paulo, enquanto Thiago Matheus Souza da Silva foi aprovado recentemente em primeiro lugar na peneirada do Santos.

 

Fundado em 1980, o Cedemi só passou a ter uma quadra própria em 2003, dois anos depois da saída do ainda pouco conhecido Paulo Henrique Ganso, que estudou até a sexta série do ensino fundamental no colégio. Com o passar dos anos, a estrutura melhorou e hoje o ginásio já é um dos mais modernos de Ananindeua.

 

COMO FUNCIONA?

 

Escolinha de futsal: para alunos e não alunos da escola, com idade entre 6 e 14 anos. Seleção de futsal: para participantes do projeto que disputam o Campeonato Paraense em quatro categorias (sub-9, 11, 13 e 15).

 

OLHO NAS NOTAS

 

O comportamento dos alunos fora das atividades esportivas é acompanhado pelo técnico Leandro Lima, que possui acesso aos boletins de cada um. Aqueles que estão longe do aceitável são encaminhados para o Serviço de Atendimento Pedagógico, que verifica a queda do rendimento escolar.

 

(Diário do Pará)

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.