Raí revela carinho antigo pelo Paysandu

07/01/2016

 

Natural da cidade de São Luís, no Maranhão, o lateral-esquerdo Raí já rodou por diversos clubes do país ao longo da carreira, mas nunca esqueceu das suas origens no futebol do interior do seu Estado. Com acompanhamento da rivalidade contra os times paraenses, aprendeu a respeitar o Paysandu, e, segundo o atleta, isso pesou na decisão por defender o clube. “Estava viajando, meu empresário, de longe, me falou dos times que estavam interessados e eu falei que tinha um carinho grande pelo Paysandu, que é aqui perto de casa. Recebi um contrato de um ano e espero poder fazer história aqui, como fiz em todos os times que passei”, ressaltou Raí.

 

Lateral esquerdo ofensivo, também atua como meio campista e é conhecido por apoiar muito no ataque, como João Lucas e Pikachu, laterais titulares em 2015. O atleta espera a comparação com os antecessores, mas diz não temer cobranças. “Meu amigo Misael jogou aqui ano passado, me falou da história do clube, da pressão que é para jogar. Mas é bom trabalhar com pressão, para pegar forte e render o que se espera da gente”, argumentou.

 

Com um estilo mais técnico, Raí também comentou sobre as dificuldades que espera encontrar em campo nos gramados paraenses. “Esse começo de ano é de muita chuva e os campos que vamos jogar, já fomos avisados que nem todos tem condições muito boas, então muda bastante a coisa. O futebol vira força, choque e pegada. Enfrentamos uma situação parecida no campeonato maranhense do ano passado, então não é uma situação nova de todo”, disse.

 

Sobre a experiência recente no futebol maranhense, Raí diz trazer uma lição: nunca achar que venceu antes da hora. “Enfrentamos uma equipe do interior na final, o Imperatriz. Acredito que tecnicamente nosso time era até melhor que o deles, nossa campanha foi melhor, mas na final eles nos golearam e saíram campeões. O plano é levantar títulos esse ano, então tem que começar respeitando todos os adversários já no Parazão”, encerrou.

 

(Taion Almeida/Diário do Pará)

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.