Dado Cavalcanti pode fazer até mais de uma mudança

30/08/2016

O técnico Dado Cavalcanti manteve o equilíbrio e a franqueza costumeira ao admitir que o Paysandu ficou muito aquém, no primeiro tempo da partida contra o Oeste-SP, daquilo que ele havia planejado para o jogo.

 

O treinador reconheceu que faltou mais atitude ofensiva à sua equipe nos 45 minutos iniciais. “O que a gente pretendia era que, quando a bola estivesse com o nosso time, precisaríamos agredir o adversário”, contou. “Isso acabou não acontecendo no primeiro tempo. Marcamos muito atrás. Isso facilitou muito para o Oeste. Foi uma equipe jogando e a outra marcando”, completou.

 

Na segunda etapa, com outra ideia de jogo, o Papão deu uma melhorada, conforme lembrou o treinador. “No segundo tempo mudamos a postura, diminuímos mais a marcação, ocupamos mais o campo do adversário, mesmo que sem a bola. Igualamos o jogo e quando a partida estava igual acabamos sofrendo um gol de pênalti”, comentou.

 

O treinador explicou uma das mudanças, a primeira que fez em sua equipe, sacando o meia Celsinho para a estreia do meia-atacante Robert. “Coloquei o Robert no lugar do Celsinho para ganharmos um pouco mais de força. Na hora que fiz a troca, sofremos o gol, quando o Celsinho ainda estava chegando ao banco”, lamentou o comandante.

 

Sobre a formação que pretende mandar a campo, contra o Tupi-MG, amanhã à noite, Dado Cavalcanti pediu um pouco de tempo para se manifestar.

 

“Vamos ter paciência para pensarmos no substituto do Roniery. A ideia é mexer o menos possível na equipe”, adiantou o treinador.

 

Roniery não poderá atuar amanhã por ter levado o terceiro cartão amarelo no último sábado (27) e, assim, cumprirá suspensão automática. Ele deve ser substituído por Edson Ratinho.

 

Nesta segunda-feira, a partir das 16h30, a equipe fará o último treino, no estádio da Curuzu, ante de encarar os mineiros.

 

Intenção era explorar os lances de contra-ataque

 

O atacante Robert, que fez a sua estreia, assim como Rivaldinho, falou sobre a estratégia adotada pelo Paysandu para tentar derrotar o Oeste-SP, algo que acabou não ocorrendo. “Viemos com a intenção de esperar e jogar nos contra-ataques. No primeiro tempo não conseguimos fazer isso, mas no segundo, depois de sofrermos o gol, buscamos mais o ataque, mas, infelizmente, não conseguimos chegar ao nosso objetivo, que era pelo menos chegar ao empate”, declarou.

 

(NIldo Lima/Diário do Pará)

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.