Paraense conquista acesso e quer título da Série D

09/09/2016

O torcedor pode não conhecer os times que irão cair para a Série D do campeonato Brasileiro de 2017, mas já sabem quem conquistou o acesso para a terceirona do ano que vem. CSA-AL, Volta Redonda-RJ, São Bento-SP, e Moto Clube-MA confirmaram presença na Série C, no domingo (4).

 

O time alagoano confirmou a vaga com a ajuda de um paraense. O lateral-esquerdo Rayro carimbou o passaporte do CSA-AL. “Foi difícil essa conquista, encontramos algumas dificuldades nos jogos.  Alguns lugares pela falta de condição do campo e outros pelas equipes que enfrentamos, porém, nosso grupo é muito comprometido e a nossa diretoria também que nunca deixou faltar absolutamente nada”, desabafou o jogador.

 

Com times de diversos cantos do Brasil na disputa, a Série D é complicada principalmente pela logística da competição. Situação enfrentada pelo Clube do Remo em 2015.

 

“As viagens são complicadas e ainda tem a questão de campos ruins, vestiários sem condições, entre outras coisas. Fomos jogar no Piauí contra o Altos, a temperatura de 38 graus, campo bom, mas os vestiários tão ruins, que não tivemos nem condições de voltar no intervalo para lá de tão pequeno e quente que era. Mas em modo geral tudo serve de aprendizado até as adversidades, isso fez que o grupo crescesse”, explicou Rayro.

 

 

O CSA-AL venceu por duas vezes o Ituano-SP com os placares de 2 a 1 e 1 a 0.

 

Rayro ainda não sabe qual vai ser o futuro  da carreira em 2017, mas o foco ainda está na Série C deste ano, o jogador quer o título da competição. “Com fé em Deus vamos buscar o título sim, temos um grupo muito maduro e desde o início sempre falamos que nosso objetivo essa esse”, enfatizou.

 

O contrato de Rayro com o CSA é até outubro, enquanto isso o jogador foca no título. O descanso será em Belém ao lado da família.

 

“A diretoria deverá sentar com todos atletas ao final para conversamos sobre possíveis renovações, até o momento não foi comentado nada com ninguém, a princípio meus planos são de continuar aqui um clube, que tem uma torcida fantástica e que dá uma tranquilidade para gente trabalhar e uma cidade maravilhosa de viver, né? (Risos) Quero poder ir de férias para Belém rever os familiares também”, contou.

 

Em 2015, o jogador quase conquista o acesso para à Série B com o ASA. O time parou no Tupi-MG nas quartas de final.

 

Rayro aproveitou a oportunidade para destacar a falta de reconhecimento dos jogadores locais dentro das suas cidades natais, fato observado em todos os cantos do Brasil.

 

“O Pará tem muitos jogadores bons e da forma como o futebol de hoje pede com intensidade. Acredito que não seja apenas aí no nosso estado essa realidade, mas na maioria dos lugares os jogadores locais têm muito menos espaço que os que vem de fora. Particularmente eu acho que o Flamel é um exemplo disso, há alguns anos ele é muito melhor que a grande maioria que foram para Remo ou Paysandu, porém as oportunidades e a paciência de todos, tanto torcida quanto imprensa são para os outros jogadores são bem maiores pelo fato de vir de fora, pela questão de ter a paciência de se adaptar ao clima entre outros muitos fatores, muitos reclamam do nosso clima ser quente. Mas isso não é apenas a, em todos os lugares que jogo os jogadores locais reclamam da mesma falta de oportunidade”, desabafou.

 

Para a semifinal o CSA-AL fará dois jogos contra São Bento-SP. A partida de ida será em casa.

 

(DOL)

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.