Documentos remistas serão analisados

31/10/2016

Para analisar todos os relatórios feitos pelo Conselho Diretor e pelo Conselho Fiscal do Clube do Remo, o presidente do Conselho Deliberativo, Manoel Ribeiro, criou uma comissão que dará um parecer sobre as situações levantadas na documentação. A comissão é composta pelos conselheiros Antônio Carlos, Orlando Frade e Francisco Rosas, que é contador.

 

Rosas terá uma grande responsabilidade neste caso, mas ainda não teve acesso aos documentos e vai se reunir na próxima segunda-feira (31) com os demais membros para tomar algumas decisões. “Só a partir de segunda que teremos alguma ideia do que será feito. Mas, na verdade, será uma análise dos dois documentos, o do Confis e o do Codir, e então daremos um parecer técnico que será repassado ao presidente do Condel. Quanto ao prazo, ainda vamos conversar. São muitos documentos, vamos precisar de alguns dias, para que tudo seja feito da melhor forma”, explicou Rosas, que é benemérito do clube.Há alguns dias, Rosas era vice da chapa de Marco Antônio ‘Maganata’ e estava concorrendo nestas eleições. Só que após a apresentação do relatório do Confis, a dupla saiu da disputa. Esta situação é uma das alegações de André Cavalcante para não concordar com a escolha da comissão. Mas Rosas se defende. “Eu era candidato. Sou benemérito e tenho esse direito. Além disso, vamos dar um parecer técnico. Temos que ser coerentes com a realidade. E a comissão é um direito do Condel escolher. Além disso, será um parecer referente às contas. Se estiver tudo certo, ok. Se não estiver, que arquem com as consequências”, encerrou Rosas.

 

 

 

“Defesa do presidente foi palhaçada”, acusa Heitor

 

O presidente do Conselho Fiscal do Remo, Heitor Freitas, foi uma das pessoas que saíram bastante chateadas com o relatório de defesa feito pelos membros do Conselho Diretor. No documento, o atual presidente do Remo, André Cavalcante, se defende das acusações feitas pelo Confis de ter cometido gestão temerária nestes dez meses que está à frente do Leão.

Segundo Heitor Freitas, presidente do Confis, ele saiu bastante triste da reunião. “A gente fica triste de ver uma palhaçada dessa. De ver um cidadão que está querendo mostrar uma imagem que não tem. Essa defesa dele (André Cavalcante) é uma verdadeira palhaçada. Isso não vai tentar se segurar com essa comissão. A comissão vai botar tudo em pratos limpos. E outra: eu apresentei documentos. Ele não apresentou. Como alguém se defende sem apresentar documentos?”, questionou Heitor Freitas.

 

No relatório elaborado pelo presidente do Conselho Fiscal, foram apresentados 256 anexos, em 17 páginas, que apontaram diversas irregularidades, todas contestadas por André Cavalcante, na reunião extraordinária da última quinta-feira (27). Agora, caberá a uma comissão que foi escolhida no encontro o dever de analisar os documentos e dizer quem está com a razão.

 

(Café Pinheiro/Diário do Pará

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.