Chamusca aproveita tempo para observar jogadores

06/02/2017

O Paysandu mais uma vez apostou em um trabalho de compactação. Ontem, o técnico Marcelo Chamusca comandou uma atividade no estádio da Curuzu utilizando apenas metade do gramado. Orientando os atletas do setor ofensivo, enquanto seu auxiliar orientava os jogadores da defesa, o treinador testou a reação a situações de choque e recuperação. Depois do trabalho houve uma nova atividade coletiva sem goleiros, onde o treinador insistiu em fazer algumas mudanças no meio e ataque.

 

Daniel Sobralense foi testado diversas vezes no time titular. O treinador revezou o atleta com Diogo Oliveira e Jhonnatan, testando diversas formações de meio-campo com dois desses três meias. No ataque, o centroavante Alfredo voltou a ser testado no posto de Leandro Cearense.

 

Atleta de confiança de Chamusca nos tempos de Fortaleza, Daniel diz estar animado com a possibilidade de ganhar espaço no time às vésperas de um clássico. “Tenho uma história bem legal em fortaleza. Sempre fiz gol em clássicos e finais, especialmente contra o Ceará. Em jogos contra times da Série A também costumava ser decisivo. Aqui é o meu primeiro clássico, e todo mundo quer jogar!”, ressaltou.

 

O meia explicou que a concentração para o Re-Pa deve promover algumas mudanças nas rotinas dos jogadores. “Durante o campeonato a gente se concentra no nosso jogo. O nosso técnico e o pessoal da comissão técnica tem acompanhado melhor o nosso rival. Mas esse final de semana, sem jogo… acho que todo mundo vai parar um pouco na frente da TV para ver e ter uma ideia do que vem pela frente. Estamos todos ansiosos”, revelou.

 

Elenco não vê vantagem

 

O presidente bicolor Sérgio Serra já afirmou, categoricamente, que entende como uma vantagem para o time não jogar neste final de semana antes do clássico Re-Pa. Entre os jogadores do Paysandu, a questão não tem uma resposta definitiva. A maioria não sabe dizer se necessariamente é melhor ficar apenas treinando às vésperas do jogo. “A gente não vê essa vantagem, por eles jogarem e a gente não entrar em campo. Jogamos duas vezes e vamos procurar seguir nos movimentando por aqui. Sabemos que não precisamos só vencer o clássico, mas jogar bem. Esse último jogo nós não criamos muita coisa, deixamos a desejar, e precisamos responder isso em campo”, disse Daniel Sobralense.

 

O volante Wesley admite que há um lado “mais chato” em ficar só treinando, e que há uma pequena quebra no ritmo, mas que a resposta vai vir no jogo. “A gente vai continuar treinando do mesmo jeito. Jogo é importante para os atletas que não estão jogando e não querem fazer só a parte física… Mas preferia que tivesse jogo, para continuar na sequência. A gente ia entrar no embalo. Dificulta um pouco, mas continua treinando firme para isso”, argumentou.

 

Daniel Sobralense também preferia atuar no final de semana, mas ele aponta outros fatores para isso. “Treino e treino e jogo é jogo. Ninguém sabe o que você faz quando é um treino. É claro que você tem que fazer coisas boas num treino pra poder levar para o jogo, mas a relação com a torcida é nos jogos. Mas vamos procurar trabalhar para levar isso no próximo jogo”, encerrou o meia.

 

 

 

(Taion Almeida/Diário do Pará)

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.