Marcão quer vitória para homenagear futuro filho

08/02/2017

Quando chegou ao Paysandu em 2015, durante a disputa da Série B, o catarinense Marcus Vinicius Fraga Milanezzi chegava ao clube para uma situação nova em sua carreira – ser terceiro goleiro. “Quando eu cheguei aqui, as pessoas me perguntavam muito isso. Eu nunca tinha sido segundo ou terceiro goleiro. Sempre joguei”, relembra Marcão. Paciente, o arqueiro seguiu trabalhando e, no ano seguinte, com a saída de Ivan, assumiu a condição de reserva imediato.

 

Sua chance de brilhar surgiu da forma mais dramática – em um Re-Pa decisivo. Na decisão da Taça Estado do Pará 2016, o goleiro teve sua prova de fogo ao estrear no gol bicolor substituindo Fabinho Alves, após a expulsão de Emerson. Seu primeiro lance foi justamente uma cobrança de pênalti de Eduardo Ramos, que ele acertou o lado, mas não conseguiu defender. O atleta segurou o empate em 1 a 1 nos minutos finais e se consagrou nas disputas de pênaltis. O arqueiro defendeu duas cobranças e deu a vitória por 3 a 1.

 

“Acho que essa lembrança eu vou levar para a vida toda. Onde eu passo, os torcedores sempre me recordam”, assegura. Nessa semana decisiva, com certeza, passa um filme na cabeça. Tudo que eu fiz, tudo que a gente passou. Fomos campeões e foi marcante”, relembra o goleiro, que procura passar para os novos companheiros a emoção e o clima do Clássico Rei da Amazônia.

 

ANSIEDADE DUPLA

 

“Agora é um outro jogo, são grupos diferentes, mas o Re-Pa é um negócio sensacional. Só quem jogou sabe como é gostoso estar ali!”, garante. É claro que o Emerson é titular e vem jogando bem, mas se eu tiver a oportunidade de entrar e jogar, é claro que vou dar o meu melhor e procurar a vitória” comenta o arqueiro que tem mais um motivo para estar ansioso esta semana. “A minha esposa está grávida agora. Pode ser que nasça até no dia do Re-Pa! Está na reta final da gravidez, deve vir essa semana ou na próxima”, comenta o goleiro.

 

VITÓRIA PARA TODOS

 

Com sua esposa em Belém, o goleiro Marcão tem tido a oportunidade de acompanhar de perto o processo de pré-natal. “Vai ser um menino e está bem grande. O médico já disse que nem parto normal pode fazer… acho que já puxou ao pai. Quem sabe vai ser um goleiro também?”, brinca. A expectativa de se tornar pai às vésperas de um clássico, desde já, tem se revelado uma situação especial para Marcão. “Estamos brigando, desde o começo, para conquistar uma grande vitória domingo e, para mim vai ser especial”, confirma. “Se o meu filho nascer antes do Re-Pa, no dia ou até logo depois, vai ser um presente para ele, para a torcida, para mim… pra todos nós!”, avalia, com um fator de motivação que pode fazer a diferença até ao elenco bicolor inteiro, para homenagear o ‘baby’.

 

(Taion Almeida/Diário do Pará)

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.