Guerrero apela a Infantino, mas não é liberado para jogar o Mundial

23/05/2018

Gianni Infantino, presidente da Fifa, e Paolo Guerrero, atacante peruano punido em 14 meses por doping, se reuniram nesta terça-feira na sede da entidade em Zurique, na Suiça. O jogador do Flamengo buscava sensibilizar o dirigente, porém, não teve êxito e deixou o local sem conseguir a liberação para jogar a Copa do Mundo.

Em comunicado, Infantino mostrou se solidarizar com o atleta, mas ressaltou que a pena foi imposta pelo Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) e não pela Fifa, que pediu apenas 6 meses de sanção. Desta forma, Guerrero tem o Superior Tribunal Federal Suiço como último recurso para atuar no Mundial.

O encontro na sede da Fifa teve a presença do presidente da Federação Peruana de Futebol (FPF), Edwin Oviedo, que apoia o atacante em busca da absolvição e foi o principal responsável pela reunião acontecer.

Confira o comunicado divulgado pela assessoria de Gianni Infantino, presidente da Fifa:

“A pedido da Federação Peruana de Futebol (FP), o presidente da Fifa, Gianna Infantino, reuniu-se hoje na sede da Fifa, em Zurique, com o presidente da FPF Edwin Oviedo e com o jogador Paolo Guerrero, da seleção peruana.

Durante a reunião, Oviedo e Guerrero expressaram sua posição sobre a punição imposta contra o jogador por ter violado no regulamento antidoping.

Gianni Infantino expressou sua profunda compreensão com a decepção de Guerrero por não poder fazer parte da seleção peruana que disputará a Copa do Mundo 2018. Porém, o presidente da Fifa também deixou claro que a punição foi dada pelo Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), após uma apelação contra a decisão de um órgão judicial independente da Fifa”.

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.