Livre para estrear no Paysandu, Diego Rosa se coloca à disposição em qualquer função ofensiva

03/05/2019

Por Pedro Cruz — Belém (PA)

Diego Rosa deve ser relacionado pela primeira vez contra o Tombense — Foto: Jorge Luiz/Paysandu

Diego Rosa deve ser relacionado pela primeira vez contra o Tombense — Foto: Jorge Luiz/Paysandu

Diego Rosa ainda não estreou pelo Paysandu. No último sábado, quando a equipe entrou em campo para enfrentar o Ypiranga-RS, o meio-campista cumpria suspensão por uma expulsão ocorrida ainda na Série B do ano passado, quando defendia o CRB. Foram cinco jogos de punição por conta do cartão vermelho recebido justamente contra o Papão, na 31ª rodada da competição.

Suspensão cumprida, o jogador está apto para jogar contra o Tombense, na próxima segunda-feira. Agora tudo depende do técnico Léo Condé definir onde Diego Rosa irá jogar. O meio-campista se colocou à disposição para exercer várias posições no setor ofensivo.

– Eu sou rápido, gosto muito de jogar pelas beiradas. Já fiz outras posições em outros clubes que passei. No próprio Vasco eu cheguei a jogar de terceiro volante, no Atlético Goianiense joguei de falso 9; CRB joguei de meia/10. Eu sou esse jogador que, se precisar, em qualquer posição, posso estar ali que não tenho frescura nenhuma, não tenho vaidade, me coloco à disposição. Sou aguerrido, sempre vou dar a vida pelos meus companheiros e por esse clube – adiantou o jogador.

Diego Rosa contou, porém, que ainda não teve essa conversa com o treinador bicolor. Por enquanto tem se preocupado apenas em se adaptar ao clima e aguarda uma definição da comissão técnica sobre onde deverá ser aproveitado no Paysandu.

– Ele (Condé) está sempre conversando com os jogadores. Acho que ele ainda está dando um pouco mais de atenção em perguntar como a gente está se sentindo, a gente que está chegando agora. Mais isso aí. Ele sabe que pode contar com a gente, quer nos ver bem e vai perguntando, tirando informações da gente – contou.

Jogador afirmou que adaptação ao clima não tem sido um problema — Foto: Jorge Luiz/Ascom Paysandu

Jogador afirmou que adaptação ao clima não tem sido um problema — Foto: Jorge Luiz/Ascom Paysandu

“Eu penso assim: quem quer um acesso não pode escolher clima, não pode escolher nada. A gente tem que se adaptar, ser igual camaleão, se adaptar a todos os ambientes. Temos que fazer o resultado, não tem essa. Mas, em termos de calor, vim de uma cidade que também é muito quente, no Sul do Mato Grosso do Sul, então não estou sentindo muito. O que é diferente é a chuva, aqui chove bastante. Mas a gente se adapta rápido”

Essa não será a primeira vez que o meio-campista irá disputar a Terceirona. Rosa fez parte do elenco do CRB que terminou a competição na quarta colocação e, consequentemente, garantiu o acesso a Série B. Agora mais experiente, ele conta que sabe o que esperar do torneio.

– Eu joguei uma Série C em 2014, pelo CRB. Graças a Deus conseguimos o acesso. É bastante complicada, nós sabemos. As equipes que vão jogar vêm para guerra e a gente tem que saber guerrear. Acho que a principal palavra dessa Série C é saber guerrear quando for jogar fora e, dentro de casa, com certeza temos que fazer o nosso trabalho – salientou.

A partida entre Paysandu e Tombense está marcada para as 20h de segunda-feira, na Curuzu.

Fonte: www.globoesporte.com/pa

Deixe uma resposta

Você precisar fazer login para comentar.